segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Bravo

E adorei...

"Morta por dentro mas de pé como uma Arvore" porque As Arvores Morrem de Pé... Parabéns Manuela Maria, para mim a melhor atriz da sua geração e hoje tive o prazer de a ver.

O Chiado está magico

O D. Maria está um encanto

E hoje descobri mais um bocadinho de Lisboa

E quero fazer mais sessões destas

Haja Saúde e trabalho...

Uma ótima semana!!!... que a partir de agora vem ai muito trabalho... Quem inventou o Natal certamente era um excelente comerciante (pensamento do dia)

sábado, 26 de novembro de 2016

Li por ai...

Li por ai... e gostei!

"Depois de um longo relacionamento, me vi conhecendo pessoas e descartando, fiquei muito seletivo, não por buscar a perfeição mas por falta de afinidade, por não cometer nem aceitar os mesmos erros. Decepções diversas, pensei em desistir, cansei de tentar. De tanto que a gente apanha, é difícil sentir tudo outra vez. Aposto que você me entende. A gente se reserva pra se preservar, é como se a gente caísse na real de que a maturidade que a gente tinha não era o suficiente pra manter a gente no pé, daí a gente cai como fruta podre e depois tenta renascer, das sementes a gente tenta se reinventar e o tempo ajuda a gente. De uns meses pra cá, parei pra pensar por onde andam as pessoas, que como eu, procuram alguém interessante o suficiente pra deixar a gente mais a vontade, pra acordar com a cara marcada de lençol, pra encostar o rosto no ombro e entender que aquele gesto não é só um gesto de carinho, aquele gesto é uma cumplicidade de almas, uma ligação de vidas diferentes, um encontro de olhares, é uma poltrona pra ver as estrelas sem sentir o tempo passar, é um corpo que ali te propõe um momento pra refletir enquanto a brisa do mar bagunça o teu cabelo. Mas confesso que está cada vez mais difícil encontrar alguém assim. Alguém que saiba ser feliz também sozinho, que não se perca e não me perca, que não se perca dos seus próprios anseios, que não fique com medo das ondas, que tire os pés da areia e se entregue por inteiro, que não seja superficial como tanta gente que encontrei.
As pessoas estão cada vez mais com preguiça de se dispor, de ter que voltar ao inicio e contar toda história da vida de novo. As pessoas não dão e nem esperam mais respostas de ninguém, elas não suportam mais ter que responder alguém que não sejam seus amigos. Não ligam, deixam pra depois. As pessoas esquecem umas das outras com tamanha facilidade. Quando não se interessam mais dizem estar ocupadas, não prestam atenção, somem. As pessoas se interessam pelas características que existem nas fotos das redes sociais, pelo que diz uma bio de quatro linhas sobre o outro. Fica fácil se arriscar, fica mais fácil ainda desistir de tudo mesmo quando nem começou. As relações são instantâneas e os amores cada vez mais efêmeros. ”Eu te amo” se tornou ”bom dia”. As pessoas namoram porque não querem se manter solteiras por tanto tempo, ou por medo de ficarem sozinhas, por acharem que ir ao cinema acompanhado ou tomar um sorvete e conversar sobre séries é mais legal quando se tem alguém, ou pra fazer ciúmes ao ex, pra mostrar que deu a volta por cima, que conseguiu se envolver com outra pessoa (e muito provavelmente fez tudo isso porque não esqueceu do ex ainda), ou porque querem mudar os status nas redes sociais, ou porque acham que ter alguém pra preencher alguns espaços vazios é melhor que não ter ninguém. Namoram por qualquer coisa, menos por amor, e é justamente por isso que as relações hoje em dia não duram, dá ”match” mas não dão em nada.
E eu não sei exatamente se o problema é meu, por ter me tornado o mais seletivo possível porque as pessoas que já passaram por mim me causaram alguma decepção, ou se está mesmo difícil encontrar alguém interessante no meio de tanta gente que se esquiva. Talvez o problema esteja exclusivamente em eu me desinteressar tão rapidamente quando alguém erra feio comigo, porque eu já não tenho mais paciência pra admitir erros, engolir defeitos, porque o meu medo a essa altura do campeonato é perder tempo, é ficar com pessoas que me fazem perder tempo. Nesse receio de perder, eu acabo perdendo também as oportunidades que me aparecem, em busca de alguém que cuide de mim como estou disposto a cuidar, alguém que não me machuque, não me decepcione, e talvez eu esteja em uma busca sem fim porque as pessoas não são perfeitas, as pessoas erram, eu sei. Mas talvez, essa seletividade que eu tenho, sirva pra eu nunca me abandonar, sempre me encontrar quando eu mais precisar e quem sabe, quando estiver bem comigo mesmo, encontrar alguém que me acolha, que esteja disposto a enfrentar todas as tempestades, que mergulhe nas mais profundas partes de mim, alguém cheio de imperfeições mas que não me abandone por conta das minhas, alguém que dê passos pra frente comigo, que desperte em mim vontade de ser e dar sempre o meu melhor. Tá cada vez mais difícil encontrar alguém que puxe a gente, que desperte o nosso interesse, sabe? Alguém que faça a gente continuar com um companhia tranquila e sem cobranças. Alguém que se conecte com a gente além do mundo virtual e mensagens de bom dia.

Não sei se eu me tornei desinteressante ou se esse tanto de gente que passou por mim só serviu pra me tornar mais exigente e maduro. Queria muito poder sair, num dia qualquer, e acabar esbarrando em quem fosse realmente interessante, inteiro e necessário pra mim. Em alguém que me apresentasse novas loucuras e manias, e que não se afastasse de mim só porque eu não consegui agradar em algum momento. Alguém que fosse maduro o suficiente pra entender que eu sou esquecido de vez em quando. Alguém que amadureça comigo, juntos. Que dispute pra escolher qual filme assistir, que jogue o travesseiro pra me acordar, que não necessariamente me observe enquanto durmo, mas que algumas vezes, durma antes de mim e me deixe provar no silêncio das situações o gosto sincero de quando a gente se entrega sem pensar duas vezes.
Enquanto isso, eu continuo me dedicando ao trabalho e às viagens que pretendo fazer. Levo os cachorros pra passear no final da tarde, leio alguns desses textos que falam sobre como as pessoas se perdem umas das outras sem nem terem se encontrado. Hoje, eu quero ser somente meu e de mais ninguém, e só saio daqui por alguém que seja capaz de me tirar do meu limbo e me faça sentir que, de fato, valerá a pena compartilhar o meu tempo e ocupar a minha vida com alguém. Enquanto não acontece, assumo um relacionamento sério comigo mesmo, já que gente interessante parece estar em extinção."

O acaso da propria vida

Acho que já escrevi aqui esta "convicção" varias vezes... acredito que nesta vida nada acontece por acaso, quer as coisas boas ou as menos boas fazem desenrolar uma serie de acontecimentos... depois resta-nos encaminhar o destino, ter a coragem de escolher, ter a ousadia de arricar... o caminho lentamente abre-se mas somos nós que temos a última palavra...

Pode parecer insignificante, simbólica mas este fim-de-semana vou ao Teatro pela primeira vez ver uma peça de teatro a serio... à sempre uma primeira vez para tudo, né! Este estava na minha lista de objetivos (se assim posso chamar) a concretizar à um tempinho, por isso: esta quase check.

Bom fim de semana!!!

(hoje ouvi esta na rádio... é tao velhinha e deu aquela nostalgia)

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Apreciar

As vezes é preciso distanciarmos, deixar passar uns dias, para sabermos apreciar o que foi um bom momento....

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Voltei

E já voltei... ja acabaram as minhas micro-ferias. Soube bem, é sempre bom sair daqui e conhecer outras paragens, outras caras... (Só por curiosidade pelo caminho antes de irmos para a residência fomos só espreitar um bar todo engraçado que havia lá ao lado, apenas demoramos 5 minutos, mas ocorreu-me uma pergunta, porque é que todas as pessoas que frequentam este tipo de espaço são giras!? opá que coisa que até irrita lol...) adiante.

Para o próximo domingo vou até à capital ver os efeitos de natal e passear um pouco, acho que já não vou lá à uns 6 meses... depois disso vem ai o mês de Dezembro, e o que quer isso dizer: muito trabalho, e ele que venha... muita agitação, muita festa, a crise deixa de existir, os emigrantes voltam, todos voltam a terrinha, e todos querem dar o melhor que podem aos seus mais chegados, mesmo que em Janeiro nao acha dinheiro nenhum, o que interessa é o natal, as tristezas são postas de lado ou então aumentam porque se sente falta das pessoas que ocupavam um lugar na mesa da consoada, todos dão beijinhos e desejam um Santo e Feliz Natal sem saber muito bem o que isso quer dizer... Eu apenas desejo que seja uma quadra tranquila, com saúde, paz, amor, e trabalho... e este ano vai haver barrete do Pai Natal na véspera da consoada para todos colocarmos... vai ser giro eheh.

Há ontem vi  "O bebé de Bridget Jones" mas nao gostei tanto como os diários... para comedia foi muito fraquinho, apesar de estarmos naquele suspense de quem será o pai da criança, não fez rir... Também achei que ficou no ar um possível novo filme, quem sabe!? Começou o frio e com isto a minha vontade de ver filmes, nao sei se acontece só a mim, mas este tempinho convida mesmo a isso... se alguém tiver sugestões de filmes (comedia romance drama) são bem-vindos ;)

 
O Ben do outro dia aparece aqui... nunca mais apareceu foi lá lol
Alguém já viu este (Armageddon)?! ainda não vi porque acho que tem 3 horas, será que vale apena!?

sábado, 19 de novembro de 2016

Inesperado

E cá vou para a festa de aniversario supressa que se tornou num fim-de-semana longe de casa... pois é vamos ficar hospedados por aquelas bandas... domingo vamos acordar a ver o mar... que bom, o que eu gosto disto... até domingo à noitinha, querida casa e trabalho.... yupi ;)

A minha mãe esta animada, o que me deixa feliz... nao sei muito bem que vai à festa mas espero que corra bem e que o pessoal seja 5 estrelas.

No fundo vai ser umas micro-ferias, mas o que adoro isso, ir para terras desconhecida ;)

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

E a escolha foi...

"Como eu era antes de você" e adorei... Agarrou-me desde o primeiro minuto, e apesar de achar todo o ambiente envolvente um pouco fantasiou-se e um cenário retirado do imaginário dos contos de fadas, a essência da historia é excelente... e a atriz principal merece nota 5.
 
Viva intensamente. Seja corajosa. Não se acomode. Use suas meias com riscas com orgulho. Saber que ainda tem possibilidade é um luxo... Só vivia bem. Só vivia.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Quem dá mais...

"Como eu era antes de você" ou "O bebé de Bridget Jones"... qual vai ser esta noite? Já ando para ver estes dois à algum tempo... se houver por ai alguma alminha, apostava em qual!?

Um regalo à vista

Trabalhar com o publico tem destas coisas, por vezes aparecem lá uns moços giros... e hoje foi esse dia, entrou-me pela porta um Ben Affleck, lol... desde o Pearl Harbor que acho piada ao moçoilo. O dito cujo era mesmo giro, era parecido com o Ben, tinha um corpo top mas nada de exagero, vinha de fato treino (eu adoro ver um homem de fato de treino), era simpatico, tinha aquela cara laroca  e depois começou-me a tratar por "tu" o que não é muito comum... certamente, nunca mais vou vê-lo mas pelos menos deu para "lavar a vista" lol
 
Com quantas pessoas nos cruzamos numa vida e não passa disso!? muitas...

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Voltas da vida

E a vida dá mesmo voltas, umas vezes comandamos nós,  outras vezes comanda ela... ás vezes já não sei quem é que decide mais, se nós se a própria vida... também sei que à decisões que mudam o rumo, umas vez por bons caminhos outras vezes por caminhos atribulados, outras nem sequer sabemos o que vai de lá sair... acho que é ai que me encontro neste momento... esta situação nao podia continuar, a saúda está em primeiro lugar, e à doenças que limitam, mesmo que aparentemente esteja tudo bem, e ter a consciência disso dói... só espero que tenha sido a melhor decisão.

Pensamento positivo é fundamental... e por falar em coisas positivas, é já este fim-de-semema que vamos ter festa de anos... lá vamos nós rumo a capital para uma festa surpresa. Ando aqui a pensar o que vou vestir, este tempo está tão instável que nem sei...

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Conhecer-me

Acho que nunca nos conhecemos a nós próprios, cada dia é uma descoberta, uma vezes surpreendemos de forma positiva outras nem por isso... mas sei uma coisa: só consigo dançar ao som de uma musica que toca na radio, quando estou bem, quando estou tranquila, calma... hoje consegui.

Estou com saudades de ver um filme, já nao vejo à um tempito. Estou a precisar de sair do meu mundo e viver noutro. Para a semana tem que ser, assim espero... já alguém viu o novo filme da Bridget Jones?! Vale apena...

Bom fim de semana!!!

Montanha russa

A minha vida é um trambolhão, uma montanha russa, um gráfico com incógnitas... os meus dias, a minha ultima semana foi de loucos, e quando tudo parece estar bem, está tudo mal, e isso é o que mais me assusta não saber interpretar. As vezes perguntou-me como é possível haver uma doença assim, capaz de "manipular" o nosso próprio pensamento...

Neste momento estou bem, estamos bem, pelo menos acho que sim, mas sei que a qualquer momento tudo pode mudar... Sei que só o tempo trará resultados, só espero que seja rápido.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Dias

Há aqueles dias em que até te consegues ver uma miúda mais ao menos normal, depois à outros dias em que vez uma miúda horrível... Hoje estou na segunda hipótese... que raiva.

Amanha é outro dia, é o que vale.