quinta-feira, 14 de maio de 2015

Aceitaçao

Aceitar-me como sou, aceitar a vida que tenho, aceitar os amigos que não tenho, aceitar quem sou, aceitar que não tenho ninguém para dizer Tem uma boa noite, aceitar que a única companhia que tenho para sair ao fim de semana é a minha mãe, aceitar que a vida não permite ter o meu T1, aceitar que não tenho alguém para partilhar a vida cheia do amor que todos falam, aceitar que esta é a minha vida... não é fácil, tem sido mesmo difícil aceitar-me, é um processo de negação que chega muitas vezes a camuflar o que realmente tenho de bom...

Durante este tempo que tenho estado ausente, inconscientemente pensei, refleti, senti, deixei andar... E consegui ver que será muito melhor quando eu valorizar o que tenho de bom, seja como pessoa ou na vida... Neste "processo" de aceitação constante corremos o risco de ruçar no conformismo, esse malandro que rouba sonhas... mas acredito que existe o equilíbrio. Eu sei que não sou perfeita, sou a eterna miúda tímida, mas isso não faz de mim melhor ou pior pessoa e muito menos pode ser (como sempre foi) impedimento para viver... eu sei que não tenho a mesma "lábia" de tantos outros, que por vezes o discurso não flui, outras vezes flui tanto que pareço uma disquete, e sei que corro o risco de "cair" nos erros da minha imperfeição, ainda hoje cai, tive a sensação que se tivesse ali um buraco tinha ido lá para dentro e só voltar quando alguém tivesse esquecido, mas incrivelmente no fim de chamar-me nomes, ri da situação, dá para acreditar!

Tenho sentido bem, tenho sentido uma paz interior que me deixa bem. Às vezes tenho medo que esta sensação acabe... Aceitar-me, ser autentica, ser eu sem medos, acredito que seja o caminho... nunca esquecendo que sou igual aos outros (esta minha mania da inferioridade persegue-me ) e estar  disponível ao mundo é muito importante. Ah, sinceramente cada vez mais acredito que nada acontece por acaso, que a própria vida leva-nos a algum lado, alguns chamariam a isto destino mas eu prefiro apenas chamar-lhe É a vida (lá estou eu outra vez a ruçar no conformismo).

6 comentários:

  1. Temos que aceitar o que somos para sermos felizes mas nada impede de mudar aos poucos. Não somos imutáveis podemos é demorar o seu tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é um "processo" aceitar-nos e melhorar-nos como pessoas... mas claro, o tempo é o maior aliado.

      Eliminar
  2. Identifico-me tanto contigo Maria, um pouco em todas as publicações, mas nesta em especial, podia ter sido eu a escrever.
    Beijinho, Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sofia, é bom saber isso, é sempre bom saber que não estamos sós no mesmo barco.

      Só uma pergunta se me permites, és a Sofia com quem falei à algum tempo atrás no mail?

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Que bom estares de volta, espero que esteja tudo bem... beijinhos :)

      Eliminar