sexta-feira, 15 de maio de 2015

Aceitaçao (continuaçao)

Não é fácil, tem sido mesmo difícil aceitar-me, é um processo de negação que chega muitas vezes a camuflar o que realmente tenho de bom... Oh meus Deus, e tenho tanto de bom, um trabalho que apreendi a amar e que hoje faço daquilo a minha vida... uma família pequena mas que adora-me apesar de tudo o que passamos (eu sei que não sou fácil)... tenho tantas pessoas que todos os dias me derretem com os seu sorrisos, a miudagem que eu adora, no fundo algo dentro de mim diz-me que nunca irie ser mãe e de um certo modo ver crescer estes miúdos é um privilegio, são tao doces, aqueles abraços e aqueles beijinhos enchem-me de uma alegria que se transforma em energia... eu sei que estas pessoas e esta miudagem são apenas isso, não os posso chamar de amigos, mas também nem tudo tem que ter um termo/definição... Ok, eu sei que não posso ter o meu espaço, ter a MINHA casa, mas já é tao bom poder viver com os meus pais, afinal de contas são eles que aguentam esta miúda chata e já lhes disse Vão ter que me aguentar até aos 65 anos, ai pego nas malas e vou por esse mundo fora lol... Começo finalmente a conseguir ter dinheiro meu, para o que gosto realmente de fazer e de comprar, sou uma fureta q.b. que gosta uma vez por outra fazer uma extravagancia que até a bem pouco tempo não sabia o que isso era... Apreendi a ter os meus hobbies e a aceitar isso, hobbies que estão longe e distantes dos sábados na discoteca e das sextas à noite no café central da terra a beber café com as amigas, os meus hobbies não são esses porque a vida assim não o quis, o meus hobbies são poucos, mas os poucos que tenho fazem-me feliz... E por mais impossível que parece a vida ainda me consegue surpreender de um modo positivo, nas mais pequenas coisas da vida, seja um cheiro, uma musica, o sol, o vento, a paz interior... Saúde, oh meu deus tenho, temos, a partir daqui TUDO é possível....

Podia terminar aqui, podia, se não fosse aqueles dias que parece que nada faz sentido, nunca percebi porque à dias que acordo com esse sentimento, um sentimento que retira a estabilidade que sinto, a confiança e a garra... à dias em que a nostalgia apodera-se de mim, que ponho tudo em causa, nesses dias a vida não faz sentido, porque queria mais muito MAIS.

Acredito que esse MAIS é o combustível, é a gasolina e o gasóleo da vida e dos sonhos, por mais pequenos e insignificantes que sejam.

Sem comentários:

Enviar um comentário