segunda-feira, 30 de março de 2015

Pergunta Shiuuu

O Shiuuu voltou ao desafio de colocarmos uma pergunta... Portanto, decidi aceitar e colocar uma pergunta que muitas vezes faço a mim mesma... muitas vezes pergunto-me se serei uma pessoa completa sem alguém ao meu lado, se serei feliz sem nunca amar, se será possível viver uma vida sem amor. Por isso a pergunta que coloquei foi a seguinte:

Concebes uma vida sem amor, o amor romântico? 
Porquê?
By Maria
 
 
Dos 38 comentário dados até ao momento decidi retirar partes das repostas que para mim tem logica, que fazem sentido ou que me fizeram pensar, então cá vai:

"O Amor tem o dom de limar os espinhos que a "vida" coloca nos nossos corações"

"É o que me dá sentido à vida"

"Não é perfeito mas vive-se"

"Não será uma vida completa, não será provavelmente uma vida preenchida com momentos que apenas o amor/romance nos dá, mas é possível"

"Vive-se de forma semelhante, apenas sem aqueles momentos de amor que um companheiro nos proporciona"

"Não diria que seria viver mas sobreviver. É possível viver sem esse amor mas seria como se tivesses uma sede que toda a água de todos os oceanos seria incapaz de saciar - faltava sempre algo. Podemos nos conformar mas vamos sentir, nos momentos mais solitários, que falta sempre qualquer coisa"

"Mas o amor romântico é só uma forma de amor no meio de tantas outras"

"Se não amares não sofres nem tens alegrias, é como se não estivesses vivo"

"A amizade, para mim, é a mais bela forma de amor"

"De certo que a minha vida teria outros pontos de interesse mas não deixo de viver bem"

"Se é desejável a existência dele? Sim. Se não se consegue viver sem ele? Não. Prefiro uma realidade ligeiramente incompleta do que uma busca por um ideal de fantasia"

"A parte do amor romântico é totalmente dispensável quando não o sentimos ou quando só nos trás dissabores. Nem toda a gente tem as mesmas necessidades"

"Sinceramente às vezes acho que sobrevivo. Sorrio claro, procuro ter bons momentos, procuro aproveitar a minha companhia, não vivo amargurada, mas sinto um vazio que gostaria que fosse preenchido"

"Amor romântico é só uma parte do amor global, pobres dos que nunca o viverão e pobres dos que só conhecem essa forma de amar"

terça-feira, 24 de março de 2015

...

"Como a abelha trabalha na escuridão, o pensamento trabalha no silêncio e a virtude no segredo."

Querido Diário...

Olá querido diário... sei que continuo ausente, mas está tudo bem.

Hoje venho aqui dizer Obrigada pelas tuas palavras, tu sabes quem és.

E também venho aqui dizer que o dia de ontem foi 5 estrelas... sentirmos livres é maravilhoso. O dia de ontem foi passado por estas ruas e não só...

quinta-feira, 19 de março de 2015

Aquela voz interior...

À dias... à aqueles dias que te elevam a autoestima, sabes que é momentâneo, efémero, mas mesmo assim ficas feliz e sente-te bem, porque foi inesperado, porque não é habitual, porque é bom saber que gostam de nós, e hoje foi esse dia. Aqui chegamos ao ponto que percebes que precisas da aprovação dos outros, se assim posso dizer. Essa aprovação é necessária, precisas dela para te sentires bem... creio que é um mal que muitos sofrem, mas é algo a corrigir, sei que vai ser difícil, é ótimos ouvir elogios, sejam por seres boa profissional, simpática, seja pelo sorriso, seja o que for, a verdade é que eleva o ego... mas quando eles não existem, quando não sentimos nada disso, que somos insignificante para os outros? ai é mau, muito mau.. por isso Maria, tudo é efémero, é uma autoestima provisório, é bom enquanto dura... a verdadeira autoestima é muito mais que isso.

terça-feira, 17 de março de 2015

Cá estou

Ainda estou viva... lol.

Tenho andado ao sabor da maré, um pouco cansada, sem energia mas sem motivos para isso, o que torna tudo mais estranho... mas cá vou indo.

Tenho mantido o contacto com a T. mesmo a milhares de quilómetros e anos sem nós vermos é bom saber que ainda somos as mesmas, claro que mudamos, a vida vai-nos mudando, mas a essência, essa permanece.

Estamos em meados de Março a primavera aproxima-se para mim a melhor das estações... nesta altura os professores costumavam dizer "agora ninguém os aguentam, as hormonas andam aos saltos e a culpa é da primavera" lol, no secundário um ou outro professor tinha o habito de dizer isso, e talvez com alguma razão.

À pouco ouvi uma versão de All of Me que achei interessante, por isso cá fica:

sexta-feira, 13 de março de 2015

quinta-feira, 12 de março de 2015

Serão

Hoje a noite vai ser de cinema, mas ainda estou na dúvida entre "A vida de Pi" ou "127 horas"... ainda havia o "Clube de Dallas" mas esse fica para outro dia.

terça-feira, 10 de março de 2015

Sensibilidade ou a falta dela

Hoje de manha a X foi ao meu trabalho e quando entrou disse "bom dia"... quando oiço as duas ou três pessoas que estavam na fila para eu atender dizerem "Ah, nem a tava a conhecer... Txiii tá tao gorda, parece um texugo. Mas a gente não diz nada, claro, a pessoa não gosta" Pois bem, tendo em conta que a X é da minha família, alguém muito próximo de mim (não vou referir o grau de parentesco) não percebo como poderão dizer aquelas palavras cruéis á minha frente... ok, nós podemos pensar, mas dai a verbalizar vai um passo, eu seria incapaz de dizer tais palavras sobre os seus filhos, netos, maridos... é uma questão de respeito. E depois ainda terminaram com aquele "a gente não vai dizer nada, a pessoa não gosta", pois tá claro, a pessoa em questão não sabe que está gorda, é preciso ir dizer-lhe (ironia). Quando trabalhamos com clientes temos que ter capacidade para engolir sapos, caso contrario a coisa pode correr mal, mas quando falam dos meus algo que não gosto, fico fula... Apesar de tudo mantive calma, e não dei a entender nada, basicamente ignorei aquelas palavras, apesar delas continuarem a falar do porquê dela estar forte.

T.

A T. foi uma das pessoas mais importantes da minha vida... foi a amiga, a colega, a companheira durante os 3 anos da faculdade... E passados 5 anos, como é obvio afastamos-nos, temos um oceano que nos separa, este afastamento foi gradual, lento, hoje em dia pouco falamos por mensagem, marcamos presença com uma mensagem no Natal, no aniversario e pouco mais... Eu no fundo sabia que isto iria acontecer, mas o que depender de mim irei sempre dizer um Olá nestes dias, tal como ela me diz. Amizades como a que vivemos não há, eu que o diga, duvida que algum dia descubra alguém como aquela miúda, dávamos tao bem, sinto falta daquele tempo, daquela cumplicidade... Ontem a T. fez anos e envie-lhe uma mensagem com uma fota daquele tempo... Hoje quando foi ver a resposta, vi que algo não estava bem, não sei o que é, mas aquela miúda já sofreu tanto, ela não merece que a vida continue a virar as costas... só espero que venham melhores dias, porque mesmo estando longe e passar meses sem falarmos eu preocupo-me contigo e só espero que sejas muito, muito feliz.

domingo, 8 de março de 2015

:(

Eu sei que foram muitas as vezes que disse que não... foram muitas as vezes que eles (pais) me convidaram e eu disse não, porque não tinha tempo,  porque tinha coisas por fazer, porque depois o trabalho acumulava....  Mas hoje ela (mãe) sabia que eu tinha a noite livre , sabia que eu ia ficar em casa porque não tenho ninguém para sair, nada... fiquei triste e revoltada, ela podia ter perguntado se eu queria ir, mas não, limitou -se a ir embora com a minha avo para o convivo que à aqui perto para comemora este dia... Eu sei que não sou dada a estas coisas, nunca foi... mas também sei que se não for assim nunca saio... e hoje, era das pouca vezes que podia ir porque tinha tempo, mas mesmo assim nada, nada, nada :(

Deve ser castigo, já não é a primeira vez que me acontece, é o que dá passar uma vida a dizer não... aprende Maria... e depois eu não sou de dizer "posso ir ?!"... Apetece-me fugir, andar por ai a deambular, e hoje que noite está tao bonita, linda... estas palavras tem lagrimas, muitas.

8 de março

O que distingue o homem da mulher? Tudo e nada... somos tao semelhantes mas também tao diferentes...

Um brinde a nós e outro a vocês... que este dia seja passado com as mulheres e os homens das nossas/vossas vida.

sábado, 7 de março de 2015

sexta-feira, 6 de março de 2015

O jogo da imitação

"Ás vezes, são as pessoa que menos imaginamos que fazem as coisas que ninguém imaginaria"
 
 
Bom filme... muito inteligente, biográfico, épico, lúdico, cruel... Como pode a sociedade atual  ter uma mentalidade aberta!? passaram pouco mais de 50 anos... o preconceito contra as pessoas homossexuais ainda é uma realidade, infelizmente. Precisamos de outros 50 anos, e ai, talvez exista igualdade e deixe de existir descriminação. 

quinta-feira, 5 de março de 2015

Aquela voz interior (continuaçao)...

Gostas-te de o ver? Sim, eu sei que sim... Estava bem, não estava? Giro? Pois, estava. E agora já nem ficas nervosas... finalmente estas a conseguir ultrapassar aquela insegurança que sentias, o discurso já flui, as mãos já não tremem, é só mais uma pessoa, uma pessoa especial, vá não negues! Sim, eu sei que "isso" não daria em nada, eu sei... mas mesmo assim, gostas de pensar no que poderia ter sido... para quê Maria, não vale a pena. Sabes, este diário não devia ser diário de uma alma, mas diário de amores, já reparas-te que nos últimos tempos 95% do que escreves aqui é sobre sentimentos, é de mais não achas? ok, eu sei que se não for aqui, não é em lado nenhum, és incapaz de expores os teus sentimentos... sim, eu sei que tens medo que te critiquem mas algum dia vais ter que verbalizar o que sentes, mentaliza-te disso. Vá miúda, pra frente é que Roma... ide.

P.S.: E agora cinema... Finalmente vou ver "O jogo da imitação".

Era bom, era...

"De repente tudo vai ficando tão simples que assusta. Vamos perdendo as necessidades, reduzindo a bagagem. As opiniões dos outros são realmente dos outros, e mesmo que sejam sobre nós, não têm importância. Vamos abrindo mão das certezas, pois já não temos certeza de nada. E isso não faz a menor falta. Paramos de julgar, pois já não existe certo ou errado e sim a vida que cada um decidiu viver. Por fim, entendemos que tudo o que importa é ter paz e sossego, é viver sem medo, é fazer o que alegra o coração naquele momento. E só."
Elaine Matos