quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

A pergunta e O obrigada

Ponto 1: A pergunta
A pergunta é frequenta, foi hoje, foi ontem, foi no mês passado... não estou a exagerar todos os dias alguém me pergunta, não me lembro bem, mas talvez desde o Natal/Ano novo, é sistemático... eu brinco, riu e gozo com a situação... sinceramente ainda não me magoa, talvez me deixa a pensar, claro, mas confesso que o que mais me faz questionar é a frequência com que é feita.

Perguntam-me a questão mais básica: Já namoras? Todos, tem sido todos os dias, juro. Depois perguntam: Tens que idade? E eu digo: 25. E lá vem: Ahhhh estás não idade, tens que arranjar um rapazinho. Mas a serio, não tens ninguém!?. E depois vem: Só espero que arranjes um rapazinho jeitoso, bom rapaz é o que eu  te desejo, tu mereces. À vezes brinco, outras vezes rio da situação, nem sei bem. Também já me perguntaram: Não tens pena de não ter ninguém? o que responder a isto, né! já nem me lembro bem o que disse.

Ponto 2: O obrigada
Entro às 9 da manhã no trabalho e por vezes só me apetece fugir dali, não me sinto motivada, nem disposta a aturar umas dezenas de pessoas. Sinto-me sem energia, e só penso que não nasci para aquilo. Depois, devagarinho vão vindo pessoas, crianças, velhotas, aos poucos começo a melhorar, a sentir-me com energia e preparada para enfrentar o dia... Entrego-me de alma e coração, "visto" o fato que sempre quis vestir, "visto" a segurança, a confiança, a simpatia, a extroversão, piso o "palco" e com voz firme comunico para o publico... às vezes visto a "camisa" ao contrário, as "calcas" do avezo, e por vezes fico "nua", "desarmo-me" e mostro a timidez e o medo... nem sempre é fácil... Mas dias como os de hoje fazem-me sorrir e pensar: Afinal consegui, não é assim tao difícil, com alma e paixão, consigo. Eu consegui. Obrigada a TODAS as pessoas que por lá passam que me ensinaram a ser uma pessoa melhor e a conseguir libertar os meus medos. Elas não sabem nem sonham o medo que tive, não sabem o difícil que foi e é para alguém como eu perder a timidez... tem sido uma conquista pessoal e profissional. Obrigada.

4 comentários:

  1. A primeira parte nem vou comentar. Por vezes também tenho essas perguntas e pronto uma pessoa até fica parva com o que ouve...

    Quanto à segunda, ainda bem que tem sido uma conquista! Seja pessoal ou profissional ou no teu caso em ambas. Compreendo perfeitamente quando dizes que o trabalho permitiu que parte da timidez fosse embora. Pessoalmente ainda não sou uma ex-tímida e penso que nunca serei, mas aos poucos aquele impacto inicial vai sendo ultrapassado de certa forma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou de acordo contigo, acho que a timidez nunca se perda, mas vai ficando menos percetível para nós e para os outros. Consigo olhar para traz e ver as diferenças, isso é muito bom, foi o que senti ontem, mas sei que ela ainda anda por cá, dai dizer que por vezes "desarmo-me".

      Eliminar
  2. Ai essa pergunta.. Volta e meia também me chateiam com ela.. Os meus avós têm um café numa terrinha e por vezes dou uma ajuda lá.. Aqueles clientes habituais e que já me conhecem há anos volta e meia perguntam-me isso... MAs eu acho que os assusto com a minha resposta.. DIgo-lhes muito convicta que não quero namorado.. E é verdade.. Não me sinto preparada para uma relação séria.. Claro que por vezes há momentos em que sinto saudades de ter e que faz falta alguém ao meu lado.. Mas isso depois passa-me.. Enfim.. Quanto ao teu ponto 2..Sei mais ou menos o que isso é.. Quando estudei Fernando Pessoa no secundário comecei a ver as coisas de maneira diferente e depois de ver o filme Happythankyoumoreplease também.. Comecei a tentar ver o lado positivo das coisas.. Nem é bem o lado positivo mas é tentar agradecer a algo (sinceramente não sei a quem ou a quê), digo várias vezes "obrigada" baixinho quando tenho sorte em algumas situações.. Enfim..É ir respirando fundo e ir andando com calma.. Claro que há momentos em que isso do respirar não funciona logo mas há que tentar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também já respondi isso, não sei se acreditam, mas tal como tu não me sinto preparada para uma relação seria, nem sem se algum dia me vou sentir preparada, e sinceramente, às vezes já nem sei nada de nada... enfim, vou respondendo em tom de brincadeira.

      Fiquei curiosa sobre esse filme, tenho que o ir procurar. Acho que isso é uma boa "tática" de levarmos a vida para a frente, conseguir ver os 2 lados da moeda é sempre uma mais valia, porque muitas vezes queixamo-nos da vida que temos e esquecemos de ver as coisas boas. E esse obrigada baixinho é reconfortante, é o que sinto.

      Eliminar