segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Zona de conforto

Hoje enquanto jantava, ouvi o Dr. Quintino (psicólogo) a falar para o pessoal da casa mais vigiada do pais, e dizia que a nossa personalidade só evolui quando saímos da nossa zona de conforto, que temos que nos confortar, só assim crescemos como seres humanos.

E isto fez-me pensar que ultrapassar esta barreira entre o conforto e o desconforto não tem de ser um feito heroico, não tem de ser algo destemido... Comecei a pensar, e todos os dias ou quase todos os dias, sou confortada com situações que me fazem dizer não, que me impedem de avança ou pior que me fazem recuar... se pensar bem, mentalmente consigo reconhece-las, consigo identifica-las como inimigo, mas o medo, esse cega-me, dizem que amor é cego, mas o medo, esse é cego, surdo e mudo.

O medo e o desconhecido são dois aliados... assustam qualquer um ou será que é uma característica dos mais fracos? Pois, talvez. Caso contrário não haveria tantos destemidos, aventureiros, forasteiros por ai. Quem inveja, só queria uma mão cheia dessa coragem, dá coragem que permite pisar a linha, mais ou menos como a linha da Zon (agora já extinta) aquela linha invisível que separa o conforte do desconforte, o conhecido do desconhecido, a vida da morte.

Sei que não é agora, nem amanha... tenho a plena consciência disso, que não vou pisar a "linha" no presente imediato. Acredito que a vida e o tempo são os meus maiores impulsionadores... mas essencialmente quero estar próxima da linha, quero nas mais pequenas "situações" da minha vida, contorna-la para um dia, a "medio-longo-prazo" poder dizer, sim vivi, cresci, evolui.

Isto para relembrar o meu (acho que único) lema para este ano: CONSEGUIR SAIR MAIS VEZES DA MINHA ZONA DE CONFORTO.

6 comentários:

  1. Tenho de me juntar a ti e ver se também saio mais da minha zona de conforto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil, né Inês? Mas quero conseguir, temos que ser mais fortes.

      Eliminar
  2. É fazer por isso Maria, para poderes chegar ao fim do ano e dizeres que conseguiste cumprir o teu lema,com certeza que te sentirás melhor :)

    ResponderEliminar
  3. Nem tudo o que o Quintino diz é mentira mas raras são as vezes que ele fala como psicólogo e muito menos como especialista da área. Por algum motivo já foi punido pela Ordem e, tendo em conta algumas coisas recentes, não me admirava que voltasse a sê-lo. Por vezes, filtrar um pouco a informação é bom, muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, já me apercebi que o Quintino é um pouco controverso. Pessoalmente gosto de o ouvir, mas como dizes, à assuntos que talvez não comente como especialista, mas apenas dê a sua opinião.

      Neste caso, achei que ele tinha razão e identifiquei-me, dai escrever aqui sobre isso... mas claro é só a minha opinião.

      Eliminar