quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Timidez continuação

Só queria que houvesse uma fórmula para perder esta timidez e ser alguém confiante e segura.  Odeio me por ser assim. Hoje aconteceu uma série de episódios que me fez odiar ainda mais.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Tempo/natal

Mais um ano que termina... chegamos ao último mês do ano, aquele mês especial onde todos nós corremos atrás de nao sei bem o que.  Todo o mundo conspira para o dia 25, o dito Natal, aquele dia que no fundo nunca percebi bem o que é. É um dia estranho,  apesar de gostar da magia desta época,  o dia em si nunca gostei muito, é triste e não me perguntem porquê. Apenas desejo para este dia e para todos os outros dias do ano: saude (muita), paz e amor.

E porque vem aí mais um ano,  e o tempo não pára,  ca fica:

O tempo não nos pertence, não é um dado adquirido e voa, principalmente isto, voa. Foge-nos entre os dedos, como areia fina de um deserto, logo no momento em que o estávamos a sentir como nosso.

Não me importo de não ter tempo, importo de não o utilizar, de o largar pela janela fora. O aqui é a única coisa que nos resta. A nós, a quem o tempo ainda não terminou.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Há dias assim

Opa, e hoje apareceu lá no trabalho um "miúdo" tao giro,  daqueles capazes de me fazer sonhar, só por um bocadinho e acreditar que era possível.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Texto fantástico

E hoje foi domingo, foi literalmente domingo,  não fiz nadinha,  acordei ao meio-dia e foi almoçar fora. Calcei as minhas botas, o meu casaco quentinho a estrear e no fim fui ao café.  Tudo banal, mas para mim nao, domingo é sinal de trabalho exaustivo.  Agora estou na ronha. Tão bom.

Andei para aqui a ler algumas coisas e encontrei este texto (devia ler isto mais vezes):

Pegou na roupa e pôs dentro da mala. Só aquela de que gostava mais, pois de que adiantava levar qualquer outra? Lembrava-se de uma história qualquer que tinha lido sobre pessoas que não usavam a melhor loiça nem vestiam a melhor lingerie, sempre à espera que algo especial acontecesse, e a única coisa especial que lhes acontecia era a vida, o dia-a-dia, mas eles não se apercebiam. Ela tinha decidido que não seria como aquelas pessoas. Olhou para os bilhetes que tinha na mão. A viagem que tinha sempre querido fazer. Telefonou a todos aqueles que eram importantes para lhes dizer o quanto os amava. Não, claro que não era uma despedida. Não, não tinha nenhuma doença. Estava só a viver a vida, a aproveitar o dia. Tinha tatuado “carpe diem” no dia anterior, um cliché, um perfeito e horrível cliché, mas a verdade era que os clichés existiam por serem verdades tão quase absolutas, tão perfeitamente irritantes por serem quase incontestáveis.Carpe Diem. Riu-se ao ver as letras tatuadas no seu pulso, para não se esquecer.“Vamos?” perguntou à sua pessoa especial. Ele assentiu, largou tudo, pediu férias inventando uma urgência qualquer e partiu com ela sem perguntas. Ela emocionou-se; ele tinha aceitado sem perguntas, tinha feito as malas sem dificuldade, tinha-lhe dado a mão sem inseguranças, simplesmente preparado e com a alma cheia de reticências, pronto a absorver novos delírios. Como se adivinhasse. E ela sentiu-se tão abençoadamente amada que chorou. Não se preocupou em esconder; ela era aquilo tudo, a loucura, a emoção, a tristeza, a alegria e o amor.Partiram e aproveitaram aqueles quinze dias que ele tinha conseguido. Beberam muito álcool acompanhado de muita comida boa. Riram-se muito, assistiram ao nascer-do-sol várias vezes antes de dormir, acordaram algumas vezes com o pôr-do-sol, só para recomeçar de novo a loucura, a aventura, o amor. Fizeram muito sexo de luz acesa e namoraram muito de luz apagada; adormeceram todos os dias nos braços um do outro, enquanto contavam os segredos mais secretos que tinham e sentiam os sentimentos mais íntimos que podiam. Não resistiam a um desafio – a um mergulho à noite, a uma noite inteira a dançar com estranhos, a correr nus pelos matos densos. Disseram tudo o que podiam e sabiam, por mais ridículo que fosse, e riram à gargalhada com piadas que não tinham graça para ninguém, mas que entre eles significava tudo, era tudo o que os outros não viam, não conheciam. As férias não eram para pensar, porque às vezes o grande inimigo da vida era a mente demasiado pensativa. Correcção: a vida não era para pensar.No dia em que tinham de voltar, ele fez a pergunta, com temor na voz: “Estás a morrer?”E ela respondeu “Não estamos todos?”Ele percebeu. Separaram-se com um longo beijo e as carteiras vazias, mas com a alma a transbordar de alegria, de memórias, de amor.Carpe diem, dizia a tatuagem. Ela tinha cumprido, e agora voltava à sua vida normal, longe dos seus delírios estivais, mas cheia de vontade de continuar a ser aquela pessoa nova que sempre tinha sido e agora tinha descoberto. Quando chegou a casa, telefonou de novo a todos aqueles de que gostava. “Estás no hospital?”, foi a pergunta geral. Negou, claro. Imaginou-se a ir para o Hospital, um médico de olhos tristes a dar-lhe semanas de vida, talvez meses, provavelmente só dias. “Não é o que todos temos, Doutor? Simplesmente o resto da vida?” responderia ela, assustada com o fim tão próximo. Suspirou e respondeu negativamente a todas as perguntas: não estava a morrer de nenhuma doença, não tinha ninguém próximo que estivesse a sofrer, não estava a receber tratamento psicológico, nem a pensar suicidar-se. Nada de especial, pelo menos nada de mau. Quis explicar. Quis dizer que estavam todos à espera que algo de especial acontecesse, quando o único que acontecia era a vida, e eles não percebiam. Quis explicar que só tinha finalmente percebido o que era importante, realmente importante, pelo menos para ela: sermos nós. Ir à loucura e voltar. Livres e sem medos, sermos loucos e depois voltar à realidade. Ir à loucura e voltar, porque amanhã o mundo estará igual, à espera. Mas se tivermos sorte, nós sim mudámos, para descobrir algo maravilhoso que nem sabíamos que éramos.

domingo, 1 de novembro de 2015

Aquele abraço

Por breves minutos parece verdadeiro... o abraço que sinto.  O moço giro que me olha, que me reconforta a tarde de domingo invernosa... consigo vê-lo enquanto me dá aquele abraço.
Estou a trabalhar sozinha ao som da rádio. Mas ao olhar pela janela sonhei aquele abraço.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Já dizia a outra senhora...

...todas as nossas atitudes marcam nos como um ferro em brasa,  deixam cicatrizes para o resto das nossas vidas. É irreversível.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Alguém fez anos

Olá!

Sim ainda ando por aqui, nao fugi... continuo é sem computador. Daí a minha ausência.
 
É verdade diário, estou mais velha,  durante a minha ausência completei 26 anos. Estou socialmente crescida, mas continuo a mesma miuda dos 17 anos pelo menos é assim que me sinto. Até parece mentira como o tempo tem passado.  Tanto ficou por fazer e tanto que ainda quero fazer.

Parabéns Sofia, sei que fizeste anos a 3 ou 4 de Outubro mas não me lembro ao certo.

Parabéns Su, que também fizeste a 7 de Outubro

Beijinhos

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Não percebo

Como é possível um gajo andar atrás de uma gaja a praticamente um ano, ja ter ouvido que nao quer nada com ele e mesmo assim nao desiste, volta e meia e dá sinal de vida?!? Volta meia e la vem uma mensagem para me lembrar que esta interessado... mas por cada mensagem mais tenho a certeza que nada sinto.

Pensei que com tempo isso passa se, mas tá difícil...


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Mudanças

Querido diário,  a única razão da minha ausência é o facto do meu PC continuar na loja para arranjo.  No entanto tinha que vir aqui dizer te que uma grande mudança se aproxima: no trabalho vamos mudar nos para um espaço maior,  com melhores condições e mais apelativo. Esta mudança é um risco confesso que tenho algum receio, mas tenho fé (seja la isso o que for) tenho fé que tudo vai correr bem e que vai ser bem recebido pelas pessoas. O próximo mês vai ser de mudanças,  muito trabalhoso... mas quero acreditar que o resultado final vai ser muito bom.

sábado, 22 de agosto de 2015

Em suma

1 - o meu pc continua avariado

2 - estive ausente daqui e de tudo... porquê? fui mais uns dias de feriassssss. soube tao bem, pensei, sonhei, emocionei me, acreditei, cai em mim e voltei

3 - hoje foi tao duroloso voltar ao trabalho

4 - só volto a ter ferias para ano... 366 dias me esperam pela frente...

sábado, 8 de agosto de 2015

Ele

Passaram sete meses... s-e-t-e longos meses, muito tempo, o tempo suficiente para acreditar, perceber que nao existe nada, que não sinto nada... 7 meses em que nunca  maia houve uma palavra, ate ontem a noite... as 23 horas recebi um sinal de mensagem, era um "boa noite" dele.

So me passa isto na cabeça: !?!?!?!?

Sim, sete meses em que fui sempre cruzando com ele, nada mais.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

MariaCapaz

"Existem momentos na vida em que sentimos uma gigante falta de identificação com o mundo e com a multidão. É como se a natureza nos fosse alheia e todos nos parecessem estar numa sintonia que, simplesmente, não nos atinge. Sentimos que aqueles que nos rodeiam são mais equilibrados, tranquilos e, inclusivamente, mais bonitos e inteligentes que nós.
Esta sensação, que tem tanto de humana como de estranha, é muitas vezes consequência de um processo introspetivo que surge da comparação entre o que não vemos em nós e o que, aparentemente, vemos no outro.
Entre mulheres, estas emoções são recorrentes, até porque nos comparamos constantemente às nossas pares de género. Penso que é uma forma de refletirmos sobre a nossa identidade. Devemos reconhecê-lo sem grandes tabus. É verdade.
Quando somos invadidas por este estado de espírito, como se tivéssemos acabado de beber um cocktail de falta de autoestima e estupidez, a tendência é olharmos ao espelho e encontrarmos no reflexo aquilo que tanto medo temos de ser:
Umas autênticas cromas.
Sim, isso mesmo. Aquelas que sofrem de bullying na escola dos 6 aos 18.
Quando nos apercebemos, é como se uns óculos de fundo de garrafa nos viessem parar à cara, ou como se um estranho nos abrisse a porta do WC, quando ainda estamos sentadas na sanita.
É esta dimensão subjetiva, onde acredito que vamos todas parar, que resolvi trazer para a Maria Capaz. Porque tenho fé  de que somos capazes de ganhar consciência e, sempre que necessário, expulsar este “demónio” do corpo de todas as Marias. O “Demónio da Croma”.
E repare-se, ele pode aparecer a qualquer momento. Estejamos atentas.
Pode surgir quando vamos beber um copo e, à nossa volta, só estão miúdas giras com
20 anos com os seus mini shorts,  quando  já não temos pernas  para aquilo  há uma década, ou quando invejamos  a confiança  da maluca das tatuagens  que dança sem despeito, quando os nossos pés estão colados ao chão e os nossos braços parecem âncoras.
Tende a aparecer, igualmente, quando recebemos um valente Não numa entrevista, ou quando aquele giraço com quem andamos a flirtar há meses, de repente, se apaixona pela nossa amiga. Ninguém merece, eu sei.
Também espreita quando tentamos ser sexy, sem darmos conta que temos um bocado de alface preso entre os dentes, ou quando nos espalhamos no meio da rua e ficamos com a saia no pescoço. Já me aconteceu e não houve quem me ajudasse a levantar do chão.Este demónio faz questão de nos visitar antes de uma reunião importante em que fomos destacadas para fazer a apresentação, mesmo avisando a chefia que temos pânico de falar em público, ou naquela bela segunda-feira em que encontramos, junto à fotocopiadora, o colega que nos segurou a testa depois do jantar de Natal.
Empurra-nos, sem decência, quando queremos muito fazer uma viagem, mas nem dinheiro temos para as portagens até ao Algarve, ou sempre que achamos que podemos comprar aquela peça de roupa e, dois dias depois, estamos a devolvê-la na loja. E, naturalmente, de forma impecável, com etiqueta e a cheirar bem. Nisto, somos prós.
Mas será que faz parte da vida, sempre que consideramos que não estamos à altura, sentirmo-nos assim? Umas completas cromas?
Acredito que calha a todas. Até porque, com a devida distância, chegamos à conclusão de que somos todas Mulheres repletas de defeitos e virtudes. Mas falar é fácil. Já expulsar esta sensação, sempre que a mesma nos possui, nem tanto.
Apesar de termos dois dedos de testa para perceber que todas as mulheres confiantes também cheiram a transpiração num dia de calor, muitas vezes não têm dinheiro para aquelas férias de sonho, são ridicularizadas quando menos esperam e até têm candidíase, num dia realmente muito mau – convenhamos – quando abrimos a porta desta dimensão emocional, temos a certeza de que todas as outras são superiores a nós.
E minutos depois, voltamos à realidade e dizemos baixinho: “Relaxa, a beleza à americana simplesmente não existe”.
O que seria de nós, e das nossas histórias, se fossemos sempre correspondidas? Se nunca tivéssemos medo, ou nos achássemos perfeitas? E, by the way, o que é que isso significa?
Ter as mamas da Monica Bellucci, as pernas da Cameron Diaz, a confiança da Madonna e o cérebro da Marie Curie?
Talvez.
Contudo, o mais certo é acordarmos na caderneta de vez em quando.
Aí, só nos restará dizer: Sai demónio, sai!"

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Voltei

As ferias  foram muito boas... adorei Albufeira. Hoje é que foi mais cumplicado a entrada no  trabalho... acho que estava a habituar me aquela vidinha.

O meu pc continua avariado e escrever  é uma tarefa  difícil... Assim que poder volto cá.

sábado, 25 de julho de 2015

Cá vou eu

Ca vou eu, albufeira me espera... Quero descanso, ssossego, paz de espírito, sol, mar, paisagens bonitas,  recantos a descobrir,  natureza, diversao, fotos, gastronomia regional, cheiro a ferias, gente bonita... quero que tudo corra bem. Até breve :)

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Imaterial

Tenho medo que eles nao gostem... tenho receio que eles fiquem decepcionados quando la chegarem. Há muito que sonhei dar-vos isto... nunca foi de dar coisas materiais, nunca dei... mas isto a muito que queria darvos... so espero que gostem.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

PC maluco

O meu PC esta maluco, o teclado  nao trabalha, tem as letras todas misturadas por exemplo quando clico no C aparce isto: c-+2.
Hoje lembrei me que podia por o teclado  no ecrã e so assim consigo escrever mas é bastante lentoooo. Tenho que ir com ele a loja nao sei quando, pois sábado la vou eu de ferias, assim que poder volto ca, talves já com fotos da merecidas ferias. Ate já.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Mais 1

Há coisa melhor de que saber que em vez de 4 dias de ferias vou ter 5 dias ?! Tãoooo Bommm  :)

Quase, quase assim:

 
(Ah o moço não faz parte do pacote ferias... Vá Maria nada de frustrações, aproveita... ir de ferias aos 25 anos com os pais não tem mal... ok, sei que não querias isso, mas a vida é assim, por isso aproveita.)

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Expectativas

Quando não criamos expectativas é tudo tao melhor... infelizmente, muitas vezes crio expectativas que raramente corresponde a realidade... em contrapartida, quando não as tenho, tudo é bom, tudo é bem-vindo.

Aprende Maria: nada de expectativas.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Quase quase

Está quase quase... falta praticamente duas semaninhas para ir de ferias. Hoje com este calor só me imaginava a molhar os meus ricos pezinhos e a desfrutar de outros ares... O que eu gosto das ferias para alem do devido descanso, é sentir-me longe daqui, sentir que estou num sitio diferente do habitual e ir a descoberta de um novo sitio. Este ano Albufeira é o destino, lembro-me de em pequena ir lá de passagem, mas já não tenho muitas memorias... Já agora, se ainda houver alguém desse lado (mas dada a minha ausência dos últimos tempos já deve restar pouco pessoal), gostava de perguntar qual/quais as praias em Albufeira que aconselham? (Obrigada ;) ) Portante, minha querida ferias cheguem rápido que eu ando mesmo a precisar de um retiro, caso contrario isto vai começar a fazer curto-circuito.

 
 
 
(Só porque à musicas que são mais que um conjunto de notas musicais, aqui fica estas duas, insignificante para muitos mas para mim conseguem levar-me para outras "paragens"... acho que essa é a essência da musica: fazer sentir)

terça-feira, 7 de julho de 2015

O pior

O pior de ser disléxica é ter a ideia/pensamento na cabeça e não conseguir verbalizar ou melhor conseguir até consigo mas num emaranhado de palavras trocadas e descoordenadas... que odio.

O pior de ser EU é ter dias de inseguranças, que me sinto estupida e pequenina, que me sinto horrível, que sinto um vazio, um sufoco mas também não sei o motivo do vazio nem como o preenche-lo...



quarta-feira, 1 de julho de 2015

Feliz Obrigada Mais Por Favor

Hoje voltei às secções de cinema, depois de uma pausa, acho que me voltei a viciar nisto dos filmes e hoje vi "Feliz Obrigada Mais Por Favor".  Achei um filme leve mas bom... principalmente a parte final que nos faz retirar algumas conclusões. Deixo aqui uma citação com a qual me identifico e para não esquecer, cá fica:

"Não é fácil ser se amada. E para ti parece ser mais difícil ainda, eu sei. Mas queria que tentasses. Encara isto como uma experiencia... Tu mereces ser amada. Mereces. E lá por não acreditares não faz com que não seja verdade. É verdade para mim. E só isso importa."

"Diz adeus à tristeza e torna-te alguém que merece ser amado. Que valha apena. Porque valemos mesmo apena!... És um bom homem. Deixem que te amem."

sábado, 20 de junho de 2015

Resumo

Finalmente consegui sentar-me em frente ao computador e vir aqui... foram duas semanas emotivas, cheias de tudo... a família voltou ao "seu" pais, os meus tios e os meus primos... a filha do meu primo está um encanto, é a mais nova da família teve apenas um dia comigo, mas parti-me o coração, tem um sorriso e olhar encantador, é um princesinha, e quando teve de ir embora custou tanto, a ela e a mim... quando fique sozinha tive que chorar, a sensação de partida e não saber quando a vou voltar a vê-la, foi muito mau... e foi colocar novamente mil perguntas na minha cabeça e questionar tudo.

O fim-de-semana passado foi muito bom, pois estivemos todos juntos, o último jantar. Aqui foi a festa anual da minha vila, fui os 3 dias, pela primeira vez não faltei um dia, para mim é estranho muito estranho, até as pessoas brincavam admiradas com a minha presença assídua lol... Costuma-se dizer "Se não os consegues vencer, junta-te a eles" foi mais ou menos isso que fiz, juntei-me à minha maneira, com um sorriso, com palavras, com Olás..

Ah, e no domingo ainda fui passear à minha calçada... foi um fim-de-semana com cheiro a ferias, a fazer nadinha :)

Infelizmente, no inicio da semana aconteceu uma tragedia, a minha vizinha suicidou-se... e novamente voltei a chorar com toda a força, foi horrível chegar a casa e ver ambulâncias e o motivo, como tudo foi feito, é horrível.

Ando mais emotiva, choro com mais facilidade, e não gosto disto.

Bem, hoje fiz muto pouco... por aqui esteve um calor que ninguém aguenta... Não fiz limpezas, apenas fiz uma tarte de amêndoa, adoro... sou tao gulosa. Amanha é que é dia de trabalho.

 Bom domingo!!!

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Domingo

Estou cansada foi um dia exausto, mais um... Um dos domingos que é sinonimo de trabalho. Tem que ser, talvez podia ser mais moderada naquilo que faço mas não consigo... espero um dia ter a recompensa. Irei ter, assim espero, assim faço para isso.

Já falei do site da Maria Capaz? acho que sim. É um "site" se assim posso chamar, que fala de feminismo. Tem crónicas, entrevistas, contos, etc, etc... confesso que gosto de lá ir espertar, todos os dias saem coisas novas. Hoje gostei bastante desta, cá fica:

P.S.: Sofia, amanha voltamos ao desafio, desculpa não ter respondido hoje. Beijinhos ;)

JÁ TE ATREVESTE A VIVER? por Lígia Soares

A fazer realmente uso da palavra viver? Sem vergonha do que poderão comentar, sem inseguranças ou problemas?
Quantas de nós somos apenas marionetas nas mãos da sociedade que nos rodeia?
Quantas mulheres se destroem, seguindo os parâmetros de beleza que lhes são impostos diariamente?
Ok. Terem 30 ou 40 kg (e não poderem sair em dias de temporal, correndo o risco que o vento as leve), é sexy.
A sério?
Somos bombardeadas com publicidade gratuita, na televisão, na internet, até na rádio, onde o anúncio da Depuralina passa mais vezes do que a nova música da Ellie Goulding do Fifty Shades of Grey, onde surgem dietas loucas em que se emagrece 8 kg numa semana (e eu sou a mãe Natal), e comprimidos que, segundo dizem eles, nos tornam mais belas fisicamente. Onde cada vez existem mais produtos de maquilhagem para tapar as ditas imperfeições…
E depois deparamo-nos com raparigas que gastaram o seu dinheiro em comprimidos dietéticos em vez de espelhos e saem à rua, mais parecendo que vão atuar num circo ou numa série de ficção (até a make up do Walking Dead é mais bonita em certos casos…), escondendo a sua beleza natural com vergonha de serem apontadas por uma borbulha ou sinal. Photoshop em tudo o que é revistas, cirurgias plásticas que resultam no ridículo.
E quando dás por ti, tudo em ti é falso, feito, construído pelo que a sociedade te impôs.
E quando te olhas ao espelho… vês perfeição?
Ou vês realmente que já nem te conheces a ti mesma?…
A perfeição não existe.
É uma doença da sociedade que está a deixar doentes as mulheres.
Dá-se mais atenção à beleza superficial do que à inteligência, e a cada dia, mais adolescentes caem em doenças provocadas por magreza extrema, suicidam-se porque não aguentam a pressão e a violência dos abusos verbais que ouvem diariamente, choram quando se olham ao espelho porque não veem realmente o quão bonitas são e o valor que têm. Porque a sociedade que temos assim o dita.
Já te atreveste realmente a viver? A olhar-te ao espelho e a gostares do que vês? Entenderes as tuas próprias imperfeições como perfeitas em ti? No teu corpo? A não te deixares influenciar, a vestires o que realmente gostas e não o que te é imposto, a saíres de casa sem maquilhagem, de cabeça erguida, mostrando a tua beleza natural? Não te importando com comentários?
Consegues responder a ti mesma se és realmente feliz como és? Se estás contente contigo própria?

Inteligência também é sexy.
Segurança. Confiança. Independência. Boa disposição, daquela contagiante, simpatia. É mais sexy uma Mulher segura de si, poderosa, decidida, do que uma mulher com um vestido com decote até ao umbigo, ou umas leggings com padrão cortinado dos anos 80.
Atreve-te!!!
Atreve-te sem teres receio. Atreve-te sem vergonha. Atreve-te a ser aquilo que desejas e arrisca sem stress, problemas ou inseguranças. Quando acordares, se não tiveres força, vai buscá-la onde achas que não existe. Atreve-te a enfrentar o mundo. E se te chamarem de louca, mostra-lhes que estão errados.
Porque no fim do dia, o que conta realmente é quem nós somos, sentados em frente ao espelho, sem máscaras. Não o que os outros querem que nós sejamos.
Mais vale uma Mulher bonita naturalmente, feliz com a vida, bem disposta e confiante, do que uma enjoada infeliz, mas 100% a rigor, de acordo com a sociedade em que vivemos.
Atreve-te e mostra-te sem preconceitos. Acredita mais em ti. Nas tuas capacidades. Dá o exemplo. Vive. E, gasta bem a palavra Viver, ao máximo. Deixa os comentários negativos de lado, olha-te ao espelho e diz: Sou feliz comigo mesma. Sou livre. Sou Mulher.
Atreve-te a viver!

domingo, 7 de junho de 2015

Olá Olá!!!

Não venho aqui à 3 semanas, acho que nunca tive tanto tempo sem vir aqui, e de hoje a 4 meses faço 26 anos (aiiii até dói). Mais 3 semanas que se passaram tão rápido... a vida continua a correr velozmente... Tanto e nada à para contar. Os meus tios da Inglaterra vieram de férias, não os via à 13 meses... nunca pensei: o carro parrou em frente à porta, esbocei um sorriso e caminhei, eles saíram do carro, dei um abraço e este sentimento por vezes escondido deixou fugir umas lagrimas. O domingo passado foi dia de juntar a família, tão bom, à seis fins-de-semana que não parava... a tarde passada no centro recreativa soube tao bem, é tao bom estar perto destas pessoas, da minha família. Ah, torceram-me um perfume de Inglaterra maravilhoso, estou perdida por ele. Vão embora para a semana. Por aqui começaram as festas, em todas as vilas e terriolas à uma festa por semana, só termina lá para Outubro. Hoje fui jantar a uma delas... aqui na terrinha ao lado... Com quem fui? com quem mais poderia ir, os meus pais, claro, os meus companheiros de tudo... custa-me sempre olhar a minha volta e ver jovens com os seus grupos de amigos... mas sinceramente, já me custou mais, não me consigo ver inserida naqueles grupos, estou com quem me faz bem e com que me sinta bem, nem que isso significa estar com pessoas mais velhas. Falta mês e meio para as minhas esperadas ferias, já ando a sonhar com elas... são só 4 dias mas vai-me saber tao bem.

Até amanha ;)

terça-feira, 19 de maio de 2015

Cineminha

Hoje consegui sair cedo do trabalha, pelos menos mais "cedo" que o habitual... graças ao fim de semana que passei lá fechada para conseguir ter tudo organizado, foi um fim de semana muito árduo, mas valei apena, e nada é mais gratificante do que ver o trabalho feito e sentir que a missão foi cumprida.

Portanto, agora vou jantar e no fim é sessão de cinema... ouvi dizer que O Aviador é um ótimo filme, que retrata o TOC muito bem. Dos filmes que vi sobre doenças mentais gostei bastante, por isso aposto neste.


sábado, 16 de maio de 2015

Emoção (15 de Maio de 2010)

A palavra que melhor define esta data é provavelmente emoção... celebro hoje 5 anos. Há precisamente 5 anos atrás, levantei as minhas fitas com todo o orgulho e amor... engane-se quem pensa que a queima das fitas é apenas o festejo de fim de curso, é muito mais do que isso, foi crescer como pessoas, foi pôr-me à prova, acho mesmo que até à data foi o meu maior desafio. Estes dias inevitavelmente mexem comigo, sei que é só uma data, mas a nostalgia essa teve que vir dizer um Olá... Tanto que podia aqui dizer... mas acho que já disse inúmeras vezes aqui no blog o quanto gostei de andar na faculdade... Deixo aqui uma citação que retirei do site Maria Capaz (tenho que falar um dia deste site) que para mim faz todo o sentido:

"porque não tenho dúvidas que a nossa memória afetiva apenas funciona com a mais verdadeira e mais preciosa das heranças, a do amor"

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Aceitaçao (continuaçao)

Não é fácil, tem sido mesmo difícil aceitar-me, é um processo de negação que chega muitas vezes a camuflar o que realmente tenho de bom... Oh meus Deus, e tenho tanto de bom, um trabalho que apreendi a amar e que hoje faço daquilo a minha vida... uma família pequena mas que adora-me apesar de tudo o que passamos (eu sei que não sou fácil)... tenho tantas pessoas que todos os dias me derretem com os seu sorrisos, a miudagem que eu adora, no fundo algo dentro de mim diz-me que nunca irie ser mãe e de um certo modo ver crescer estes miúdos é um privilegio, são tao doces, aqueles abraços e aqueles beijinhos enchem-me de uma alegria que se transforma em energia... eu sei que estas pessoas e esta miudagem são apenas isso, não os posso chamar de amigos, mas também nem tudo tem que ter um termo/definição... Ok, eu sei que não posso ter o meu espaço, ter a MINHA casa, mas já é tao bom poder viver com os meus pais, afinal de contas são eles que aguentam esta miúda chata e já lhes disse Vão ter que me aguentar até aos 65 anos, ai pego nas malas e vou por esse mundo fora lol... Começo finalmente a conseguir ter dinheiro meu, para o que gosto realmente de fazer e de comprar, sou uma fureta q.b. que gosta uma vez por outra fazer uma extravagancia que até a bem pouco tempo não sabia o que isso era... Apreendi a ter os meus hobbies e a aceitar isso, hobbies que estão longe e distantes dos sábados na discoteca e das sextas à noite no café central da terra a beber café com as amigas, os meus hobbies não são esses porque a vida assim não o quis, o meus hobbies são poucos, mas os poucos que tenho fazem-me feliz... E por mais impossível que parece a vida ainda me consegue surpreender de um modo positivo, nas mais pequenas coisas da vida, seja um cheiro, uma musica, o sol, o vento, a paz interior... Saúde, oh meu deus tenho, temos, a partir daqui TUDO é possível....

Podia terminar aqui, podia, se não fosse aqueles dias que parece que nada faz sentido, nunca percebi porque à dias que acordo com esse sentimento, um sentimento que retira a estabilidade que sinto, a confiança e a garra... à dias em que a nostalgia apodera-se de mim, que ponho tudo em causa, nesses dias a vida não faz sentido, porque queria mais muito MAIS.

Acredito que esse MAIS é o combustível, é a gasolina e o gasóleo da vida e dos sonhos, por mais pequenos e insignificantes que sejam.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Aceitaçao

Aceitar-me como sou, aceitar a vida que tenho, aceitar os amigos que não tenho, aceitar quem sou, aceitar que não tenho ninguém para dizer Tem uma boa noite, aceitar que a única companhia que tenho para sair ao fim de semana é a minha mãe, aceitar que a vida não permite ter o meu T1, aceitar que não tenho alguém para partilhar a vida cheia do amor que todos falam, aceitar que esta é a minha vida... não é fácil, tem sido mesmo difícil aceitar-me, é um processo de negação que chega muitas vezes a camuflar o que realmente tenho de bom...

Durante este tempo que tenho estado ausente, inconscientemente pensei, refleti, senti, deixei andar... E consegui ver que será muito melhor quando eu valorizar o que tenho de bom, seja como pessoa ou na vida... Neste "processo" de aceitação constante corremos o risco de ruçar no conformismo, esse malandro que rouba sonhas... mas acredito que existe o equilíbrio. Eu sei que não sou perfeita, sou a eterna miúda tímida, mas isso não faz de mim melhor ou pior pessoa e muito menos pode ser (como sempre foi) impedimento para viver... eu sei que não tenho a mesma "lábia" de tantos outros, que por vezes o discurso não flui, outras vezes flui tanto que pareço uma disquete, e sei que corro o risco de "cair" nos erros da minha imperfeição, ainda hoje cai, tive a sensação que se tivesse ali um buraco tinha ido lá para dentro e só voltar quando alguém tivesse esquecido, mas incrivelmente no fim de chamar-me nomes, ri da situação, dá para acreditar!

Tenho sentido bem, tenho sentido uma paz interior que me deixa bem. Às vezes tenho medo que esta sensação acabe... Aceitar-me, ser autentica, ser eu sem medos, acredito que seja o caminho... nunca esquecendo que sou igual aos outros (esta minha mania da inferioridade persegue-me ) e estar  disponível ao mundo é muito importante. Ah, sinceramente cada vez mais acredito que nada acontece por acaso, que a própria vida leva-nos a algum lado, alguns chamariam a isto destino mas eu prefiro apenas chamar-lhe É a vida (lá estou eu outra vez a ruçar no conformismo).

terça-feira, 5 de maio de 2015

Vida

O blog, este meu diário é o reflexo da minha alma em palavras... de palavras tao minhas que apenas partilho aqui... e por isso não tenho cá vindo, porque não tenho tido nada meu para partilhar...

Sem duvida que este diário é o espelho dos meus medos, da minha angustia, das minhas preocupações, é o espaço onde me é permitido dizer em palavras o quão estranha sou... Nos últimos tempos tem estado tudo calmo, tudo dentro da normalidade... Continuo com os medos de sempre, com medo de arriscar, de sair da zona de conforta, continuo insegura por dentro mesmo que por fora pareca que tenho a força do mundo, odeio-me por ainda não conseguir ser corajosa o suficiente e destímida, nem sei se algum isso vai mudar.

Neste espaço de tempo em que estive ausente fui ao cinema ver "Uma vida ao teu lado" e uma das lições que tirei de lá é que devemos e podemos ser felizes com o que temos, porque muitas vezes só damos valor quando a (felicidade) perdemos. No entanto, confesso que ganhei coragem para fazer algo que desejava à muito tempo, é das coisa mais simples, mas para mim não foi fácil, adiei durante 3 dias, quase que andava em sofrimento por saber que se queria aquilo tinha que abrir a boca, foi adiar e adiar, mas no sábado ganhei coragem e lá disse.

Deixo aqui um texto que gostei bastante, o texto é grande e fala essencialmente da zona de (des)conforto, aqui fica uma parte:

"Medo. O medo da liberdade. De arriscar. De sair da zona de conforto. Medo de perceber como somos e de que somos feitos.

Eu sou feita de emoções, muitas, milhares. Sou filha da tradição e talvez por isso seja tão inconformada. Nada para mim é um dado adquirido. Questiono tudo, ponho tudo em causa. Sou resiliente na busca de mais e de melhor. E frenética. Obstinada. Mas vou atrás. Penso que irei sempre. Quero mais coisas boas, muitas mais. Quero os dias cheios do que me põe um sorriso na cara, do que me alegra o espírito, do que me desafia, correndo o risco de acabar o dia sem esse sorriso na cara, eu sei. Mas só indo é que descobrimos. E mesmo quando eu não chego lá, sinto que cheguei a algum lado. Porque o que mais desejo é mesmo sentir-me viva.

Dar um passo para lá da nossa zona de conforto pode ser angustiante, mas é aí que nos descobrimos. Que percebemos se sim ou se não. E tudo nos acrescenta. Tudo. Por norma, sabemos identificar o que gostamos e o que não gostamos na nossa vida presente. Também conseguimos ver no nosso passado o que nos agrada e o que nos desagrada. O problema está no futuro… como é desconhecido e incerto e até inseguro o que está para vir… não sabemos. Nada nos é familiar no futuro, porque ainda não aconteceu. Se olharmos para o que aí vem como uma aprendizagem, uma viagem de comboio para ser mais romântica, então conseguimos respirar de alívio porque o medo perde peso. A tal zona de desconforto pode e deve ser vista como uma zona mágica, onde tudo pode acontecer. Para entrar neste comboio precisamos de ter o bilhete da motivação. E de confiar em nós mesmos."

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Baloiço

A vida balança como uma criança num baloiço de jardim, umas vezes a um ritmo lento, outras vezes quase que te empurra para fora do acento, umas vezes faz-te quase tocar no céu, outras vezes, por vezes, vezes de mais, mal levantas os pés do chão... Mas tu baloiças, ao ritmo do vento, das marés, do medo e da força gravítica... e tu lá continuas. Há aqueles dias que as tuas pernas ganham uma força que desconheces, nesses dias o baloiço vou até onde tu queres, noutros dias, por mais que queiras o baloiça não balança, precisavas de um empurram, apenas um toque que te fizesse ganhar impulso. Às vezes nem com um toque vais lá, porque tu és provavelmente a única impulsionadora das tuas força, és a dona das tuas capacidade, do teus desejos, porque tu és tu e o baloiço não tem que voar sempre.

domingo, 19 de abril de 2015

Oi!!!

Há muito tempo que não mudava a foto do facebook... por inúmeros motivos, talvez o principal motivo seja por não ter nenhuma foto de jeito, por achar que me estou a expor, por achar que uma foto minha no meio de tantas caras e corpos lindos que andam por ai até possa ser motivo de gozo. Tenho andada afastada das redes sociais e do blog (peço imensa desculpa), não tenho tido necessidade de cá vir (é estranho). Mas voltando ao assunto inicial, hoje apeteceu-me cá vir, dizer um "Olá" e pelo caminho mudei a foto de perfil... Os Like valem o que valem, mas é tao bom recebe-los, não é! :)

Beijinhos e boa semana.

sábado, 11 de abril de 2015

"Livre"

"... as feridas vem do mesmo lugar que as suas forças"
 
"Não há como saber o que faz algo acontecer, ao invés de outra coisa. O que leva a algo. O que destrói algo. O que faz algo florescer ou morrer. Ou tomar outro rumo .
E se eu me perdoar? Mas se eu voltasse no tempo, não faria nada diferente. E se tudo o que eu fiz, foi o que me trouxe até aqui?"
 
Muito bom... grande filme.

terça-feira, 7 de abril de 2015

"Livre"

Ando com vontade de ver o filme Livre (Wild)... se tiver tempo e se não tiver cansada, talvez vejo amanha à noite.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Passeio

Domingo de Pascoa? Sim, dizem que sim... mas quase nem me lembrei que era Pascoa. Hoje o dia foi PASSEAR com a família... tao bom. Foram muitos quilómetros a andar estrada fora, mas a paisagem valeu... com umas aventuras pelo caminho mas foi 5 estrelas. Só queria ter mais programinhas deste :)




 
Estou cansada sem fazer nada lol. Boa noite que amanha é dia de trabalho.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Um dia vou, quero, gostava de...

Um dia gostava de ao final do dia calcar os ténis, vestir o fato treino e correr por estas ruas... por vezes apetece-me mesmo, só me falta a coragem e tempo, ou companhia... seria uma maneira de libertar um pouco o stress, de desanuviar.

Novidade: Separadores

Decide tornar o diário mais funcional. Muitas vezes quero ir buscar uma musica ou encontrar um post que escrevi à algum tempo, e tenho uma certa dificuldade em encontrar. Assim, decidi criar estes separadores... espero conseguir um diário mais organizado. (na barra lateral à direita)

Aquela voz interior - aqui vêm parar todos os textos que escrevo em consciência, o que a minha consciência diz.

Aqui tem fotos -  sítios onde fui e onde fiz click vai ter destaque aqui.

Aqui tem musica - sempre que colocar musica num post, esse vem direitinho para aqui.

Frases com sentido - citações que li por ai e com as quais me identifiquei.

Filmes - o meu hobby favorito dos últimos tempos vai ter destaque neste separador, sempre que vir um filme irei colocar aqui, pode ser uma critica, uma foto ou uma lição que tirei do filme.

Hoje aprendi... - a vida é uma aprendizagem constante, pro isso este separador vai conter lições que aprendi para levar para a vida.

Insólitos de um trabalho - é isso mesmo, quem trabalha com o publica não passa sem ter aqueles momentos insólitos, por isso este separador é dedicado a eles.

Trabalho - destinado a todos os assuntos de trabalho.

Um dia vou, quero, gostava de... - aqui vou escrever os meus desejos, podem ser impossíveis de acontecer, podem estar a um pequeno passo, podem ser insignificantes, mas um dia vou, quero, gostava de concretiza-los.

P.S.: Sempre que achar necessário, posso criar outros separadores

segunda-feira, 30 de março de 2015

Pergunta Shiuuu

O Shiuuu voltou ao desafio de colocarmos uma pergunta... Portanto, decidi aceitar e colocar uma pergunta que muitas vezes faço a mim mesma... muitas vezes pergunto-me se serei uma pessoa completa sem alguém ao meu lado, se serei feliz sem nunca amar, se será possível viver uma vida sem amor. Por isso a pergunta que coloquei foi a seguinte:

Concebes uma vida sem amor, o amor romântico? 
Porquê?
By Maria
 
 
Dos 38 comentário dados até ao momento decidi retirar partes das repostas que para mim tem logica, que fazem sentido ou que me fizeram pensar, então cá vai:

"O Amor tem o dom de limar os espinhos que a "vida" coloca nos nossos corações"

"É o que me dá sentido à vida"

"Não é perfeito mas vive-se"

"Não será uma vida completa, não será provavelmente uma vida preenchida com momentos que apenas o amor/romance nos dá, mas é possível"

"Vive-se de forma semelhante, apenas sem aqueles momentos de amor que um companheiro nos proporciona"

"Não diria que seria viver mas sobreviver. É possível viver sem esse amor mas seria como se tivesses uma sede que toda a água de todos os oceanos seria incapaz de saciar - faltava sempre algo. Podemos nos conformar mas vamos sentir, nos momentos mais solitários, que falta sempre qualquer coisa"

"Mas o amor romântico é só uma forma de amor no meio de tantas outras"

"Se não amares não sofres nem tens alegrias, é como se não estivesses vivo"

"A amizade, para mim, é a mais bela forma de amor"

"De certo que a minha vida teria outros pontos de interesse mas não deixo de viver bem"

"Se é desejável a existência dele? Sim. Se não se consegue viver sem ele? Não. Prefiro uma realidade ligeiramente incompleta do que uma busca por um ideal de fantasia"

"A parte do amor romântico é totalmente dispensável quando não o sentimos ou quando só nos trás dissabores. Nem toda a gente tem as mesmas necessidades"

"Sinceramente às vezes acho que sobrevivo. Sorrio claro, procuro ter bons momentos, procuro aproveitar a minha companhia, não vivo amargurada, mas sinto um vazio que gostaria que fosse preenchido"

"Amor romântico é só uma parte do amor global, pobres dos que nunca o viverão e pobres dos que só conhecem essa forma de amar"

terça-feira, 24 de março de 2015

...

"Como a abelha trabalha na escuridão, o pensamento trabalha no silêncio e a virtude no segredo."

Querido Diário...

Olá querido diário... sei que continuo ausente, mas está tudo bem.

Hoje venho aqui dizer Obrigada pelas tuas palavras, tu sabes quem és.

E também venho aqui dizer que o dia de ontem foi 5 estrelas... sentirmos livres é maravilhoso. O dia de ontem foi passado por estas ruas e não só...

quinta-feira, 19 de março de 2015

Aquela voz interior...

À dias... à aqueles dias que te elevam a autoestima, sabes que é momentâneo, efémero, mas mesmo assim ficas feliz e sente-te bem, porque foi inesperado, porque não é habitual, porque é bom saber que gostam de nós, e hoje foi esse dia. Aqui chegamos ao ponto que percebes que precisas da aprovação dos outros, se assim posso dizer. Essa aprovação é necessária, precisas dela para te sentires bem... creio que é um mal que muitos sofrem, mas é algo a corrigir, sei que vai ser difícil, é ótimos ouvir elogios, sejam por seres boa profissional, simpática, seja pelo sorriso, seja o que for, a verdade é que eleva o ego... mas quando eles não existem, quando não sentimos nada disso, que somos insignificante para os outros? ai é mau, muito mau.. por isso Maria, tudo é efémero, é uma autoestima provisório, é bom enquanto dura... a verdadeira autoestima é muito mais que isso.

terça-feira, 17 de março de 2015

Cá estou

Ainda estou viva... lol.

Tenho andado ao sabor da maré, um pouco cansada, sem energia mas sem motivos para isso, o que torna tudo mais estranho... mas cá vou indo.

Tenho mantido o contacto com a T. mesmo a milhares de quilómetros e anos sem nós vermos é bom saber que ainda somos as mesmas, claro que mudamos, a vida vai-nos mudando, mas a essência, essa permanece.

Estamos em meados de Março a primavera aproxima-se para mim a melhor das estações... nesta altura os professores costumavam dizer "agora ninguém os aguentam, as hormonas andam aos saltos e a culpa é da primavera" lol, no secundário um ou outro professor tinha o habito de dizer isso, e talvez com alguma razão.

À pouco ouvi uma versão de All of Me que achei interessante, por isso cá fica:

sexta-feira, 13 de março de 2015

quinta-feira, 12 de março de 2015

Serão

Hoje a noite vai ser de cinema, mas ainda estou na dúvida entre "A vida de Pi" ou "127 horas"... ainda havia o "Clube de Dallas" mas esse fica para outro dia.

terça-feira, 10 de março de 2015

Sensibilidade ou a falta dela

Hoje de manha a X foi ao meu trabalho e quando entrou disse "bom dia"... quando oiço as duas ou três pessoas que estavam na fila para eu atender dizerem "Ah, nem a tava a conhecer... Txiii tá tao gorda, parece um texugo. Mas a gente não diz nada, claro, a pessoa não gosta" Pois bem, tendo em conta que a X é da minha família, alguém muito próximo de mim (não vou referir o grau de parentesco) não percebo como poderão dizer aquelas palavras cruéis á minha frente... ok, nós podemos pensar, mas dai a verbalizar vai um passo, eu seria incapaz de dizer tais palavras sobre os seus filhos, netos, maridos... é uma questão de respeito. E depois ainda terminaram com aquele "a gente não vai dizer nada, a pessoa não gosta", pois tá claro, a pessoa em questão não sabe que está gorda, é preciso ir dizer-lhe (ironia). Quando trabalhamos com clientes temos que ter capacidade para engolir sapos, caso contrario a coisa pode correr mal, mas quando falam dos meus algo que não gosto, fico fula... Apesar de tudo mantive calma, e não dei a entender nada, basicamente ignorei aquelas palavras, apesar delas continuarem a falar do porquê dela estar forte.

T.

A T. foi uma das pessoas mais importantes da minha vida... foi a amiga, a colega, a companheira durante os 3 anos da faculdade... E passados 5 anos, como é obvio afastamos-nos, temos um oceano que nos separa, este afastamento foi gradual, lento, hoje em dia pouco falamos por mensagem, marcamos presença com uma mensagem no Natal, no aniversario e pouco mais... Eu no fundo sabia que isto iria acontecer, mas o que depender de mim irei sempre dizer um Olá nestes dias, tal como ela me diz. Amizades como a que vivemos não há, eu que o diga, duvida que algum dia descubra alguém como aquela miúda, dávamos tao bem, sinto falta daquele tempo, daquela cumplicidade... Ontem a T. fez anos e envie-lhe uma mensagem com uma fota daquele tempo... Hoje quando foi ver a resposta, vi que algo não estava bem, não sei o que é, mas aquela miúda já sofreu tanto, ela não merece que a vida continue a virar as costas... só espero que venham melhores dias, porque mesmo estando longe e passar meses sem falarmos eu preocupo-me contigo e só espero que sejas muito, muito feliz.

domingo, 8 de março de 2015

:(

Eu sei que foram muitas as vezes que disse que não... foram muitas as vezes que eles (pais) me convidaram e eu disse não, porque não tinha tempo,  porque tinha coisas por fazer, porque depois o trabalho acumulava....  Mas hoje ela (mãe) sabia que eu tinha a noite livre , sabia que eu ia ficar em casa porque não tenho ninguém para sair, nada... fiquei triste e revoltada, ela podia ter perguntado se eu queria ir, mas não, limitou -se a ir embora com a minha avo para o convivo que à aqui perto para comemora este dia... Eu sei que não sou dada a estas coisas, nunca foi... mas também sei que se não for assim nunca saio... e hoje, era das pouca vezes que podia ir porque tinha tempo, mas mesmo assim nada, nada, nada :(

Deve ser castigo, já não é a primeira vez que me acontece, é o que dá passar uma vida a dizer não... aprende Maria... e depois eu não sou de dizer "posso ir ?!"... Apetece-me fugir, andar por ai a deambular, e hoje que noite está tao bonita, linda... estas palavras tem lagrimas, muitas.

8 de março

O que distingue o homem da mulher? Tudo e nada... somos tao semelhantes mas também tao diferentes...

Um brinde a nós e outro a vocês... que este dia seja passado com as mulheres e os homens das nossas/vossas vida.

sábado, 7 de março de 2015

sexta-feira, 6 de março de 2015

O jogo da imitação

"Ás vezes, são as pessoa que menos imaginamos que fazem as coisas que ninguém imaginaria"
 
 
Bom filme... muito inteligente, biográfico, épico, lúdico, cruel... Como pode a sociedade atual  ter uma mentalidade aberta!? passaram pouco mais de 50 anos... o preconceito contra as pessoas homossexuais ainda é uma realidade, infelizmente. Precisamos de outros 50 anos, e ai, talvez exista igualdade e deixe de existir descriminação. 

quinta-feira, 5 de março de 2015

Aquela voz interior (continuaçao)...

Gostas-te de o ver? Sim, eu sei que sim... Estava bem, não estava? Giro? Pois, estava. E agora já nem ficas nervosas... finalmente estas a conseguir ultrapassar aquela insegurança que sentias, o discurso já flui, as mãos já não tremem, é só mais uma pessoa, uma pessoa especial, vá não negues! Sim, eu sei que "isso" não daria em nada, eu sei... mas mesmo assim, gostas de pensar no que poderia ter sido... para quê Maria, não vale a pena. Sabes, este diário não devia ser diário de uma alma, mas diário de amores, já reparas-te que nos últimos tempos 95% do que escreves aqui é sobre sentimentos, é de mais não achas? ok, eu sei que se não for aqui, não é em lado nenhum, és incapaz de expores os teus sentimentos... sim, eu sei que tens medo que te critiquem mas algum dia vais ter que verbalizar o que sentes, mentaliza-te disso. Vá miúda, pra frente é que Roma... ide.

P.S.: E agora cinema... Finalmente vou ver "O jogo da imitação".

Era bom, era...

"De repente tudo vai ficando tão simples que assusta. Vamos perdendo as necessidades, reduzindo a bagagem. As opiniões dos outros são realmente dos outros, e mesmo que sejam sobre nós, não têm importância. Vamos abrindo mão das certezas, pois já não temos certeza de nada. E isso não faz a menor falta. Paramos de julgar, pois já não existe certo ou errado e sim a vida que cada um decidiu viver. Por fim, entendemos que tudo o que importa é ter paz e sossego, é viver sem medo, é fazer o que alegra o coração naquele momento. E só."
Elaine Matos

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Sábado

Hoje por meia hora não consegui despachar-me a tempo, fiquei mesmo triste e zangada comigo... foi só por meia hora, tinham que esperar por mim, e eu não queria isso, então disse: vão vocês, com um nó na garganta, um esforço enorme para conter a lagrima e parecer forte... Quando passamos muito tempo a recusar convites dá nisto, um dia queremos ir, mas dizemos não quando o que queríamos era dizer sim.

O lado positivo da coisa: como não foi acabei por ficar com o serão de sábado à noite mais longo que o normal... portante, vou para o sofá relaxar, descansar que estou a precisar e talvez ver um filme... Boa noite!

Aquela voz interior

Desejas um repelente contra sentimentos, convences-te que assim é melhor, assim não sofres... Mantens-te convicta que estás bem, e estas! Mas também sabes que precisas de te sentir viva e sabes que nada te faz sentir mais viva que um coraçao a bater a mil... Sabes Maria? podes sempre correr, praticar atletismo, é bom para manter a linha e assim sentes o coração a mil, boa?? sim, eu sei que não é a mesma coisa, mas lembras-te do que aconteceu num passado recente?? sim? então foge num passo compassado, e tenta não ver coisas onde elas não existem, chega de imaginares cenários. Sim, eu sei que a tua imaginação é fértil, às vezes demais, sei que gostavas de pisar terras que nunca pisas-te... mas acredita Maria, nada acontece por acaso, existe um propósito para tudo... não quero dizer com isto que te sentes à sombra de bananeira, que não sonhes, já dizia a musica "o sonho comanda a vida", por isso sonha, mas tem cuidado, não quero que te magoas nem que sofras... Caminha, continua, vais bem, acredita, não tenhas medo. A tua vida é esta, não imagines o que poderia ter sido... apenas te digo, a vida é uma dadiva só de alguns, não a desperdices...
Ah, os olhos, aqueles que dizem ser o espelho da alma, pois talvez! Sei que tentas decifrar, é um dom que gostavas ter, no fundo sei que tiras as tuas conclusões, mas são apenas isso e nunca a verdade.. não te agarres a ilusões, ao que alguém te disse, sei que isso te dá força, mas não te esqueças que são apenas palavras ditas da boca para fora...
Bem, chega de "sermão"... eu estou aqui, juntas vamos conseguir, vamos agarrar a vida com jeitinho e amor. 

E porque eu devo ter nascido algures entre 1974 e 2014:
 

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

A pergunta e O obrigada

Ponto 1: A pergunta
A pergunta é frequenta, foi hoje, foi ontem, foi no mês passado... não estou a exagerar todos os dias alguém me pergunta, não me lembro bem, mas talvez desde o Natal/Ano novo, é sistemático... eu brinco, riu e gozo com a situação... sinceramente ainda não me magoa, talvez me deixa a pensar, claro, mas confesso que o que mais me faz questionar é a frequência com que é feita.

Perguntam-me a questão mais básica: Já namoras? Todos, tem sido todos os dias, juro. Depois perguntam: Tens que idade? E eu digo: 25. E lá vem: Ahhhh estás não idade, tens que arranjar um rapazinho. Mas a serio, não tens ninguém!?. E depois vem: Só espero que arranjes um rapazinho jeitoso, bom rapaz é o que eu  te desejo, tu mereces. À vezes brinco, outras vezes rio da situação, nem sei bem. Também já me perguntaram: Não tens pena de não ter ninguém? o que responder a isto, né! já nem me lembro bem o que disse.

Ponto 2: O obrigada
Entro às 9 da manhã no trabalho e por vezes só me apetece fugir dali, não me sinto motivada, nem disposta a aturar umas dezenas de pessoas. Sinto-me sem energia, e só penso que não nasci para aquilo. Depois, devagarinho vão vindo pessoas, crianças, velhotas, aos poucos começo a melhorar, a sentir-me com energia e preparada para enfrentar o dia... Entrego-me de alma e coração, "visto" o fato que sempre quis vestir, "visto" a segurança, a confiança, a simpatia, a extroversão, piso o "palco" e com voz firme comunico para o publico... às vezes visto a "camisa" ao contrário, as "calcas" do avezo, e por vezes fico "nua", "desarmo-me" e mostro a timidez e o medo... nem sempre é fácil... Mas dias como os de hoje fazem-me sorrir e pensar: Afinal consegui, não é assim tao difícil, com alma e paixão, consigo. Eu consegui. Obrigada a TODAS as pessoas que por lá passam que me ensinaram a ser uma pessoa melhor e a conseguir libertar os meus medos. Elas não sabem nem sonham o medo que tive, não sabem o difícil que foi e é para alguém como eu perder a timidez... tem sido uma conquista pessoal e profissional. Obrigada.

Calendário

Já estamos no final do segundo mês do ano... o tempo corre, ora a um ritmo compassado ora à velocidade da luz... Sair mais vezes da minha zona de conforto era (é) o único compromisso que tinha (tenho) para comigo este ano... Pois, confesso que ainda não o fiz muitas vezes, talvez uma ou duas... ainda hoje evitei uma situação, que me incomodava.

Bem, mas uma das coisas boas que tenho conseguido é gerir melhor o tempo... os meus pais dizem que sou uma escrava de mim própria, infelizmente é verdade. No entanto, tenho conseguido algum tempo para mim, e exemplo disso é as secções de cinema à noite aqui em casa. Durante o ano 2014 foi algo impensável, por diversos motivos entre os quais sair tardíssimo do trabalho... Eles dizem muitas vezes, que tenho que deixar alguma coisa para segundo plano, que não sou uma super mulher, que é impossível conseguir fazer tudo... pois, realmente tenho conseguido ser um pouquinhos menos perfecionista, e assim ter um pouco mais de tempo para mim... mas mesmo assim, ainda acho que conseguia melhor, tenho que fazer alguns ajustes no horário ou qualquer coisa que ainda não descobri.

Também tenho tentado ser mais tolerante com os mais pais, ou seja, engolir sapos, não á nada fácil, nem sempre possível... mas vou tentado.

E Ele? ele deixou de dar sinais em meados de janeiro, no dia em que decidi ser sincera, por os pontos no "is"... No entanto, ele ainda está presente nos meus dias, seja pelas idas ao meu trabalho, seja pelos dias que não o vejo e não querendo, penso nele... seja, pela ansiedade de espreitar o FB e ver um quadradinho vermelho a dizer que à uma mensagem... mas à mais de um mês que não há mensagens, apenas resta a minha memoria que me lembrar que alguém, algum dia reparou em mim e disse o que nunca pensei em ouvir (ler)... já pensei em apagar toda aquela troca de mensagens durante estes 4 meses... mas não tenho coragem... nem que seja para confirmar que foi verdade... O mais irónico disto tudo, é que nunca ninguém falou disto frente a frente, e ainda mais irónico é eu não sentir nada por ele, alias sinto tudo menos paixão... a vida é tão irónica, troca-nos as voltas, rouba-nos as certezas e dá-nos muitas, muitas duvidas.

E agora??...  tenho 10 meses pela frente, 300 dias e centenas de horas... tudo é possível de acontecer ou nada.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Por amor da santa

"Um homem torna-se critico quando não pode ser artista, tal como se torna informador quando não pode ser soldado"
 
Ai jasus... a minha duvida confirmou-se. Ok, gostei do modo como o filme foi gravado, sem cortes, dá a sensação que não houve pausas, que o filme foi gravado de seguida... por isso tem os meus parabéns... Mas o resta, ai jasus... ficou muito a desejar, como é possível ser o MELHOR filme, por amor da santa... Ok, é um género de filme diferente do que estou habituada, talvez por isso não me tenha seduzido... já agora, ouve alguém por ai que viu? gostaram?

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Vamos lá ver

Depois de ler críticas, maioritariamente negativas sobre o filme "Birdman" decidi vê-lo e vai ser daqui a pouco... as minhas expectativas são nenhumas. Daquilo que li nos comentários do trailer, ou se gosta ou se odeia, é um filme pouco comercial, de humor negro, pelos menos foi o que retirei da opinião de alguns espectadores, vamos lá ver.

P.S.: Sabem aquela sensação que anda tudo a correr bem que até dá para desconfiar!?! ando serena, calma, as coisas andam nos eixos.... Quando a esmola é muita o pobre desconfia.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Tal como este diário...

Tal como este diário, a vida sou eu que a escreve... Tal como este diário, a vida é um livro em branco pronto a ser rasurado... Tal como este diário, não sei o final da historia... Tal como este diário, na vida vou sempre a tempo de mudar o rumo... Tal como este diário, na vida nem sempre é fácil falar, dizer o que sentimos... Em ambos o fim é uma incógnita, limito-me ao meu ser, ao mais puro de mim, sempre na espectativa que o amanhã seja ainda melhor, na busca de um final escrito no pretérito mais-que-perfeito. Às vezes, queria por breves minutos ter o dom de ler a linhas, as palavras escritas no futuro, seria tao mais fácil de fazer escolhas, de arriscar... O mais certo deste diário e da vida é o fim, seja ele qual for, somo nós que o redesenhamos.

P.S.: Não acredito que ganhou "Birdman", não quero ser injusta porque não o vi, mas não acredito que seja superior ao filme "Teoria de tudo", posso dizer que foi dos melhores filmes que vi na minha vida... bem, pelo menos o ator principal ganhou o óscar de melhor ator, mais que merecido.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Ser crescida e mais qualquer coisa

Ontem falei de ser crescida, das responsabilidades que temos quando crescemos, mas no entanto não me sinto "grande".

Pois, e estava à pouco a pensar nisso... por exemplo, apesar dos meus 25 anos, ainda vivo com os meus pais, e sinto que isso me tira liberdade, eles não me proíbem de nada, no entanto tenho que justificar onde vou, o que vou fazer, alem de não ter meio de transporte, viver longe de grandes centros e algo muito importante, não tenho amigos para justificar saídas, enfim. Além da independência financeira (ter/pagar a Minha casa, etc...) que me falta, também me falta a independência pessoal, de me afirmar, de voar, de levantar os pés do chão, de começar a dizer o que realimento quero, gosto e gostava de fazer... Vou dar um exemplo: uns dos meus grandes sonhos é ir a Paris, sempre foi, acho que já escrevi isso aqui, à muito tempo que sonho acordada em pisar aquela terra... E hoje, finalmente posso dizer que tinha dinheiro para lá ir passar um semaninha, mas não sou pessoa para acordar um belo dia e dizer "oh mãe para a semana vou a França" lol... ainda por cima sozinha, sim não me custava nada ir sozinha, porque fazer aquelas viagens de amigos, para mim não dá porque simplesmente não os tenho, talvez se os tivesse fosse mais fácil de realizar esse sonho... Ah, mas uma coisa é certa, um dia vou lá.

Bem, hoje até consegui sair mais cedo do trabalho... este fim-de-semana foi mesmo "puxado". Estou a precisar de descansar, gostava de ver os Óscares, mas vai dar muito tarde... estou aqui a torcer pelo filme "Teoria de Tudo". Ah, na sexta comecei a ver "Julie e Julia" mas adormeci, quando no começo não gosto, perco o interesso e pronto... acho que antigamente mesmo que não gostasse via até ao fim mas agora não, já é o terceiro que não vejo até ao fim... Também já vi "O meu nome é Alice" e gostei, provavelmente Julianne Moore irá ganhar o óscar de melhor atriz, a meu ver merece.

Porque eu so estou bem aonde eu nao estou porque eu so quero ir aonde eu nao vou

Às vezes apetecia tanto fazer determinada coisa, mas não podemos... mas se pudéssemos provavelmente nem apetecia...

Vou trabalhar, tem que ser!

Porquê?

Porque é que me lembro de ti? Porque razão me invades o pensamento? Porque à coisas que me fazem lembrar de ti, tanta coisa, expressões, palavras, coisas...? PORQUÊ? Não faz sentido... Será porque foste o único que se aproximou de mim, como ninguém se tinha "aproximado"?!?! Fogo, e os olhos que se fixam como se ouve-se uma linha condutora, ainda continua... Ok, vai dormir Maria, são 4 da matina, estas cansada e já não dizes nada de jeito... Amanhã o dia avizinha-se novamente longo... Vi que tinha comentários na caixa do correio, mas amanha respondo.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Crescida!?!?

Estou crescida... vou fazer pela primeira vez IRS, pela primeira vez não vou fazer associado aos meus pais... e imaginem a minha cara de parva quando a contabilista me disse isso... "Eu fazer IRS?!?!" e ela: pois então já tens o teu ordenado.

Eu tenho o síndroma de Peter Pan... cresci em altura, o BI diz que tenho 25 anos, as pessoas substituíram o "tu" de miúda por "você" mas o meu interior sente-se como uma miúda, a miúda de sempre, com responsabilidade que sempre teve, com os pés bem assentes na terras (às vezes até de mais), mas uma eterna criança... E são nestas pequenas coisas que começo a ter consciência: bolas, já sou crescida, pois é!

Bem, mas crescida ou não, agora vou ver o filme "Julie e Julia" na altura lembro-me de falarem muito bem dele... vamos lá ver.

Hoje o dia foi cansativo... conseguir o equilíbrio, conseguir ter a noção até onde posso ir não é fácil, mas vou aprendendo. Bom fim-de-semana :)

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

30 anos de casório

E o dia de ontem foi assim... desejo que perdure assim por muitos e bons anos. Parabéns papás por estes 30 anos de união.


 



segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Trabalho e mais qualquer coisa

Estou exausta, ainda consequência do dia de ontem... as minha pernas ainda gritam por descanso, mas quando sai do trabalho já tardíssimo, foi muito bom sentir que a "missão" tinha sido cumprida. Às vezes penso do que vale este esforço, mas enfim...

Amanha de manha ainda trabalho, mas depois à tarde vou passear mais os papás que comemoram 30 aninhos de companheirismo... Almoçar na serra e talvez depois damos um salto à  praia, já não vou lá desde o verão, mas sinceramente não me apetece "cair" num meio de um desfilo de carnaval, o que para aquelas bandas deve ser difícil... praia é sempre sinal de desfiles, devem pensar que estão no Rio de Janeiro e que estão 40ºC.

Opá, hoje ouvi esta musica na Radio, já não ouvia à tanto tempo:

domingo, 15 de fevereiro de 2015

"Diamante"

O tempo é dos bens mais precisos que temos, é uma perola preciosa, rara, em vias de extinção... às vezes tenho a sensação que me roubam este "diamante".

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Neste dia...

Fecho os olhos e o meu imaginário transporte-me para um restaurante onde predominam mesas de 2 lugares, neste dia especial decorado para a ocasião... imagino o que poderia ser, tenho em mim muitos pormenores deste dia, pormenores que a minha imaginação sonha... Sonhos ou expectativas que nunca aconteceram.

E pergunto-me: Se tivesse alguém, e neste preciso momento tivesse a celebrar este dia com Ele, mudaria alguma coisa, sentiriam-me mais feliz? Sinceramente, começo a achar que não, seria diferente sem duvida, mas estar descomprometida não faz de mim melhor ou pior pessoa, não faz de mim alguém mais ou menos realizada, faz apenas de mim uma pessoa singular e livre... e é nesse "livre" que me quero agarrar, livre para ser eu e fazer o que quero, com ou sem alguém... mentalizar-me e aceitar que estar só não tem mal, saber que não é opção, mas apenas porque ainda não aconteceu, é algo que tenho silenciosamente querer aceitar...

Aos que tiveram a bênção de encontrar a cara metade aproveitem ainda mais este dia, aos outros divertem-se, é o que eu vou fazer na minha própria companhia ;)

P.S.: O meu pai ofereceu uma caixa de bombons á minha mãe... mas claro eu já ajudei-a a deliciar. Agora foram sair... os meus papas que terça-feira celebram 30 anos de casamento, foram sair na noite de S.Valentim, é das coisas que mais me orgulho é ver a cumplicidade que ainda existe, com altos e baixos mas sempre unidos... E a filha com os seus belos 25 aninhos fica por aqui, provavelmente irei ver um filme. Boa noite ;)  

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Um pequeno desabafo

O tempo passa mas não apaga... o tic-tac do relógio em mim apenas apaziguou, tornou-me mais calma, mais estável, mais ciente (ou não)... os olhos tocam-se e relembram-me... senti os olhos a consumiram-me e as minhas pernas a fugirem... não digas mais nada, é o melhor... assim, estou bem, estou inodor... Quem se lembrar de Ricardo Reis, heterónimo de Fernando Pessoa!? preferia não viver para não sofre, queria o desapego das coisas, das pessoas, queria a ausência da paixão, porque tudo é efémero e assim evitaria o sofrimento... inconscientemente, acho que tenho um bocadinho destas suas características... Palavras de desabafo de alguém que chega ao fim do dia e pensa de mais.

Whiplash

"Não há duas palavras no dicionário mais nocivas do que "bom trabalho" SERÁ?
 
 
Não me convenceu, a temática é interessante, mas faltou qualquer coisa... para mim ficou muito atras do filme "Teoria de tudo". 

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Por cá...

Obrigada Sr. L. por me presentear hoje com essa maravilha e me fazer sentir uma pessoa mais "rica"

E depois da noite de cinema de ontem, hoje preparo-me para ver "Whiplash" vai ser difícil superar, mas vamos lá ver :)

Teoria de tudo

"Quem somos nós? Porque é que estamos aqui? Se soubéssemos isso, alcançaríamos o verdadeiro triunfo da razão humana, e ai, passaríamos a conhecer a mente de deus."
 
Adorei o filme "Teoria de Tudo" superou as minhas expetativas. Historia incrível e qualidade excecional, sem duvida o melhor dos últimos tempo. Emotivo, inteligente, agarra do inicio ao fim... merecedor de Óscares. 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Convicção

Mentalizamos-nos de uma "coisa", foram anos e anos a acreditar nisso, estamos convictos que isso é a realidade... um dia, pouco a pouco notas que algo está a mudar, mas por mais que te digam que sim, a tua mente diz não.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

"Pontos"

Ponto 1: O que planei fazer no fim de semana: feito!

Ponto 2: Primeiro dia da semana: Tive um "ataque" de vermelhão no rosto (fogo, pensava que isto já me tinha passado).

Ponto 3: Quero ver esta semana "Teoria de tudo" e "Whiplash"... já ouvi falar tanto destes filmes que estou curiosa.

Ponto 4: Ter capacidade para enfrentar alguém depois de ter passado por algo embaraçoso é algo que me começa a ser mais comum do que queria.

Ponto 5: Hoje enquanto almoçava, tinha a TV na SIC e estava a dar uma novela qualquer que nem sei o nome... Quando de repente, a conversa entre uma mãe e filha me desperta a atenção... a rapariga falava sobre a sua dislexia, e o quão trapalhona era no seu dia-a-dia e sobre a dificuldade que isso lhe causava para falar com um simples rapaz e namorar, etc, etc... e a mãe disse-lhe que até o Walt Disney era disléxico e isso não lhe impedi-o de ser quem foi, dize-lhe que existem centenas de disléxicos que contruíram as suas famílias, mas ela não queria saber dos outros, ela apenas sabia o que era, o que sentia, e isso não era nada bom... enfim, ao ouvir isto deu-me um aperto no coração, o meu pai estava a almoçar comigo e só sei que se fez silencio na cozinha, ele sabe que eu estou sempre a criticar-me por ser disléxica, certamente ao ouvir aquela rapariga falar, em parte, percebeu o que eu digo tantas vezes, o que eu sinto, enfim, sei que é ficção mas ouvir aquela rapariga dizer o que eu sinto, enfim, é complicado.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Vida (continuaçao)

Seria preciso mudar de sitio, de terra, de pais, do local onde estou para me sentir completa.... será que alguém se sente realmente completo?! ou isto de nos sentirmos completos é só uma ilusão?!

Seria preciso mudar de sitio, de terra, de pais, do local onde estou para ser mais forte, mais corajosa, mais segura de mim mesmo?!

P.S.: Pensar que a vida espera por nós é um erro.

Vida

Um dia ouvi dizer que a felicidade é um óscar invisível porque só damos conta quando ela nos é roubada... Às vezes quando dou por mim a reclamar da vida penso o quão injusta sou... E mesmo assim continuo a pensar nas "vidas" que eu poderia ter vivido... Ontem, na viagem de comboio a caminho da consulta da minha mãe, olhava pela janela, e inconscientemente comecei a pensar onde poderia estar se a vida tivesse levado outro rumo, que pessoas poderia ter conhecido, em que casa poderia viver... pensei que poderia estar a trabalhar numa daquelas fabricas alimentares, com torres de refrigeração enormes, edifícios de dimensões gigantescas, de cores cinzentas, que poderia viver numa daquelas janelinhas nos arredores de lisboa, que poderia fazer aquele trajeto diariamente, ou então poderia ter aprendido outra língua e estar a milhas daqui. A minha mãe olhou para mim, e disse: estas tao concentrada. O que estas a pensar? Eu esbocei um sorriso. É o que? diz ela. Estou a pensar na vida.

Ter consciência do que quero, do que sou é ótimo, mas será que algum dia vou ter essa certeza? Há dias que estou tao ciente do que quero, noutros duvido de tudo e ponho tudo em causa. Às vezes apetece-me mandar isto tudo a fava, mandar os outros darem uma curva... mas também sei que essas mesmas pessoas são importantes, que sem elas isto não faz sentido.

P.S.: A consulta da minha mãe correu bem, está num bom caminho :)
Tem sido difícil resistor aos doces :(
Só espero que amanha o eletricista venha cá para colocar a peça na maquina, caso contrario mato o homem (ok, vou tentar não chegar a esse ponto)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Olá diario...

Olá querido diária... desculpa não ter vindo cá, mas não tenho tido vontade, necessidade, enfim... Os dias tem sido muitos iguais...

Ah, lembras de eu dizer que iria ter uma rotina para ver filmes ao sábado à noite? Sim? Pois, sabes que mais, tenho visto filmes todas as noites, sim é verdade... Não sei se infelizmente ou se felizmente, mas tenho saído cedo do trabalho, não tem havido muita freguesia, tem havido pouco clientes (o que me assusta um pouco) e por isso tenho saída bastante mais cedo, não tenho feito horas extras... Assim sendo, já vi alguns filmes, ando finalmente a por a sétima arte em dia...

Outras coisa que me tem acontecido é sonhar com colegas do tempo de escola, isto aconteceu durante muito tempo, quando não tinha trabalho era recorrente esses sonhos, mas desde que comecei a trabalhar, já lá vai mais de 1 anos, nunca mais tinha acontecido até à semana passada. Um sonho foi mesmo muito esqueci-to, sonhei que ia ter exame da faculdade e foi beber café com a minha melhor amiga da altura, e o mais esqueci-to é que "ele" estava nesse sonho, parecia tao verdadeiro mas ao mesmo tempo impossível. (ah, ele nunca mais deu sinais de vida, nunca mais enviou mensagens, acho que ele percebeu mesmo o que eu disse... claro, que continuo a vê-lo no meu trabalho, é algo que tenho que encarar com normalidade, ando a apreender a olhar para ele como se isto nunca tivesse acontecido)

Quarta-feira vou com a minha mãe a consulta de rotina no psiquiatra, já passaram 6 meses desde a ultima, ela anda bem, mas às vezes não sei, à aqueles momentos que me preocupam.. a depressão é o cancro da alma... destrói-nos como pessoas, graças a deus agora está tudo estabilizado, pelo menos é o que me parece... quarta-feira vou ver o que o medico diz.

Ando também a tentar cortar nos doce, sei que tenho abusado, e também sei que se não comer essas procarias, consigo perder está barriguinha... mas é preciso ser tao resistente, ainda hoje so me aptecia dar uma trinca numa coisa doce.

Até amanha querido diário.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Um Refúgio Para a Vida


Confesso que adoro um bom romance, não necessariamente lamechas.... Gosto de uma boa história de amor, mas melhor que a historia é a "simbiose" que existe entre os dois atores, e isso é realmente difícil... Hoje tive a sorte de descobrir este filme, sim porque os últimos dois não valeram grande coisa. Este foi especial, pelos menos para mim, ouve "pontos" que me disseram muito e a parte final, essa deixou-me os olhos cheios de agua, acho que a lagrima não chegou a cair, mas este tocou lá no fundo e é disso que gosto... amor, ação, drama... "pica" do inicio ao fim.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Frases com sentido #

"Tu és o pintor do quadro da tua vida... usa cores bonitas"
 
Made in: num comentário algures no shiuuu

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Fragmentos

A vida é feita de fragmentos, uns bons outros menos bons....

O meu dia de hoje teve muitos fragmentos... relembrei o passado e não sei porquê, fez-me chorar em frente a minha mãe, eu que não sou nada de desabafar, hoje foi recorrente no meu pensamento o tempo de escola/faculdade, e toquei num assunto que ainda hoje me magoa e pronto soltei umas lagrimas... Mas também tive fragmentos bons, o serão de hoje à noite foi um deles...

Depois à aqueles fragmentos que não são bons nem maus... que me fazem pensar.

Boa noite!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Boa noite!

Foto de Nelson Machado.
 
Que esta noite me acalme a mente e limpe os pensamentos desnecessários... só quero ter a cabeça livre. Boa noite!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Zona de conforto

Hoje enquanto jantava, ouvi o Dr. Quintino (psicólogo) a falar para o pessoal da casa mais vigiada do pais, e dizia que a nossa personalidade só evolui quando saímos da nossa zona de conforto, que temos que nos confortar, só assim crescemos como seres humanos.

E isto fez-me pensar que ultrapassar esta barreira entre o conforto e o desconforto não tem de ser um feito heroico, não tem de ser algo destemido... Comecei a pensar, e todos os dias ou quase todos os dias, sou confortada com situações que me fazem dizer não, que me impedem de avança ou pior que me fazem recuar... se pensar bem, mentalmente consigo reconhece-las, consigo identifica-las como inimigo, mas o medo, esse cega-me, dizem que amor é cego, mas o medo, esse é cego, surdo e mudo.

O medo e o desconhecido são dois aliados... assustam qualquer um ou será que é uma característica dos mais fracos? Pois, talvez. Caso contrário não haveria tantos destemidos, aventureiros, forasteiros por ai. Quem inveja, só queria uma mão cheia dessa coragem, dá coragem que permite pisar a linha, mais ou menos como a linha da Zon (agora já extinta) aquela linha invisível que separa o conforte do desconforte, o conhecido do desconhecido, a vida da morte.

Sei que não é agora, nem amanha... tenho a plena consciência disso, que não vou pisar a "linha" no presente imediato. Acredito que a vida e o tempo são os meus maiores impulsionadores... mas essencialmente quero estar próxima da linha, quero nas mais pequenas "situações" da minha vida, contorna-la para um dia, a "medio-longo-prazo" poder dizer, sim vivi, cresci, evolui.

Isto para relembrar o meu (acho que único) lema para este ano: CONSEGUIR SAIR MAIS VEZES DA MINHA ZONA DE CONFORTO.

Palavras

Tão verdade... se as palavras tivessem o poder de fazer acontecer, era tão bom:

"Sei. A vida passa. E passa a correr. E passa indiferente às nossas dúvidas, aos nossos medos, às nossas hesitações, às nossas indecisões, às nossas dores de crescimento.
E um dia, quando olharmos para trás, percebemos que teria sido tão mais simples se naquela dúvida de poder errar, naquela ansiedade de querer ser perfeito, naquela dependência pela validação do outro, naquele medo que paralisa, tivéssemos tido a coragem de virar a mesa, de nos virarmos do avesso e de dar um passo em frente, ou para trás , ou para o lado. Mas dar"


Made in: À 9 no meu blog
 


domingo, 18 de janeiro de 2015

Filmes

Ver o mundo
Ir ter com o perigo
Ver atras de paredes
Aproximar-nos
Encontra-nos uns aos outros
E sentir
Essa é a finalidade da Vida.

By: A secreta vida de Walter Mitty

Continuação da "Saga"

Tremi como varas verdes, num misto de arrepios (e não era do frio) e de calafrios... imaginei mil uma coisas antes de abrir a mensagem por completa, tentei adivinhar o que podia lá estar, e claro não estava nada do que pensei... Era uma pergunta (quase) direta, e como tal, também fui (demasiado) direta, talvez até de mais, não sei...

Os sentimentos sejam de que natureza forem, são tramados, lixados, sacanas... E o "problema" é quando não sabemos qual a sua natureza, ai piora significativamente.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Entretenimento

Um dos meus maiores dilemas é a falta de tempo... tempo para fazer coisas que gosto... A sétima arte  é uma delas, que durante anos e anos ficou para segundo plano... Então, acho que consegui uma solução para ultrapassar essa falta de tempo... De 15 em 15 dias, ao sábado à noite, cá em casa à secção de cinema para quem quiser (que é como quem diz: para mim e para a minha mãe). Portanto, vou rumar à cozinha para fazer pipocas quentinhas, rodar os sofás para a frente da TV e apagar às luzes que vai começar a "trama".  (só espero que consiga manter está "rotina" por um tempinho).

E passou-se

Vi, falei, observei, ri, fiquei na minha... e passou-se. Sempre foi melhor que ficar em casa ou a trabalhar... Ah, o frio é que foi demais, também quem é que se lembrar de fazer uma festa popular em pleno mês de Janeiro!?

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Festinha

Às vezes tenho que me contrariar... não me apetecia, o frio também não motiva, a disposição também é pouca... e por ser mais uma das muitas festas das terrinhas que à toda ano, disse não ao convite dos meus para ir hoje à festa da vila aqui do lado... Mas sabes, vou! A vontade depois vêm... o lema é aproveitar, sempre que poder, sem expectativas.

À procura

Porque já devia estar a dormir, e não estou... porque ando por aqui a divagar, à procura de porquês, à procura de respostas, à procura do amanhã... porque penso de mais, porque penso em tudo, talvez devesse ser menos "calculista", talvez deve-se ser menos metódica... bem, assim também não seria eu, seria outra Maria qualquer... Mas as noites têm destas coisas... a escuridão, o silencio e a solidão tem destas coisas... A minha solidão não é igual à tua, não é igual à dele, não é igual à vossa...  é uma solidão rodeada de gente, que entra até onde eu permito, cheia de escudos de aço, uma armação criado por mim, que impede a entrada nesta minha solidão sem a qual já não sei viver... A minha solidão tem gente, tem vozes, tem pegadas, tem gritos... com limites. No mundo da minha solidão, o silencio tem palavras, tem frases, tem gritos de ajuda... ajuda a voar, ajuda a levantar os pés do chão, ajuda a esfolar os joelhos e de seguida a levantar-me... o silencio tem musica, tem melodia, tem o Dó, Ré, Mi, Fá, Sol... tem o Sol que ilumina em dia de boas abertas... No silêncio do meu mundo é possível ser feliz... apreende-se, acostuma-se, cresce-se sem conhecer o outro lado, até fazer parte do ADN. Já faz.

P.S.: Chega, como dizer chega!? Ele insiste, persiste... e eu não sei o que fazer/dizer?

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

A "saga" continua

Hoje de manha voltei a vê-lo... eu estava calmíssima, tranquila, tenho mentalizado que tomei a melhor decisão, que estou bem assim, que não sinto nada por ele... Até que à hora de almoço vou ao FB e lá estava, mais uma, mais uma mensagem, mais um elogio, igualzinho ao ultimo, o qual eu não dei resposta... Agora das duas, uma: amanhã, ou falo com ele diretamente ou falo com ele pelo FB, para voltar a esclarecer tudo isto novamente...

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Interpretar Olhares

Interpretar olhares... às vezes dava muito jeito saber interpreta-los... Aqueles olhares que quase te perfuram a iris dos olhos, aqueles olhares que te prendem sem tu quereres, aqueles olhares que te param o raciocínio... às vezes dava jeito ter uma maquina para descodificar olhares.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Força interior

E hoje quando o medo se apoderou de mim, mentalmente pensei: Sou forte... e enchi-me de coragem. E correu bem.

Agora deixo aqui mais um texto fantástico:

"Acredito que se vive melhor quando aprendemos que não devemos correr atrás de quem sabe onde nos encontrar, quando percebemos que cortar algumas pessoas da nossa vida não significa que as odiamos, mas apenas que nos respeitamos.
Acredito que se vive melhor quando interiorizamos que perdoar não é fazer bem aos outros, mas a nós mesmos.
Acredito que se vive melhor quando fazemos as pazes com o nosso coração. Quando deixamos que bata na sintonia certa: a de ter paz, ignorando a da teimosia e a de querer ter sempre razão."
 
Made in: Às 9 no meu blog

domingo, 11 de janeiro de 2015

Domingo


Hoje foi pisar a calçada portuguesa... Estes fins-de-semana é o que eu chamo de "momentos bons"... simples, banais, mas tao cheios de alegria.

Espero que esta semana corra bem... Boa noite.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Vejamos

1 - Aquela pergunta: Já te arrependes-te de alguma coisa? Sim, arrependi-me de não abrir a boca.

2 -  Como já não à nada a fazer, amanha é dia de Saldos :)

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Parabéns Querido Diário!

E foi assim que tudo começou, à 1 ano atras:

"Sou a Maria Ninguém, 24 anos de existência e uma vida pela frente...

A partir de hoje vais levar comigo, com a minhas alegrias diárias, porque acredito que cada dia é diferente e todos os dias somos brindados com pequenas coisas que fazem a diferença... mas não penses que venho aqui só partilhar alegrias, a tristeza, o medo e a ansiedade, também estão presente no meu dia-a-dia... até amanhã querido diário."


Estas foram a primeiras palavras da primeira pagina deste meu diário, o 3º diário da minha vida. Sim, antes já tinha escrito outros dois diários, daqueles que cheiram a flores, com folhas coloridas, que têm um cadeado bem pequenino, do qual tinha medo que alguém pode-se descobrir a chave... talvez por isso só escrevi uma dúzia de paginas e rapidamente desisti da ideia. Mas este é diferente, é um diário aberto ao mundo e esse é o segredo... Quando comecei a escrever a minha única regra era ser sincera para comigo, aqui não havia espaço para mentiras, para refugiar-me atras de outros, aqui a única regra era ser Eu, e acarretar com todas as consequências que podiam vir dai: criticas, julgamentos, juízos de valor, enfim. Mas sabes que mais... durante este aninho nunca tive nada disso, antes pelo contrario... tive criticas construtivas, comentários de apoio e muitas palavras de força... Na verdade este é o meu escape no final do dia, quando o cansaço ainda me deixa vir aqui desabafar o que vai nesta alma, mas também entrar no vosso mundo... no fundo, este diário aberto ao mundo deu-me a conhecer pessoas novas, pessoas que tal como eu, "gritam" ao mundo as suas palavras, e esta partilha é simplesmente maravilhosa... Por isso, resta-me agradecer a todos vocês... o meu muito OBRIGADA por tudo :)

P.S.: Estou com uma constipação daquelas... este maldito frio não se vai embora.

P.S.: Depois daquela ultima mensagem (do elogio) nunca mais o vi... até hoje. Estava no meu local de trabalho, sozinha, sem ninguém, sem patrão, ninguém... quando ele me aparece lá... foram cerca de 15 minutos, só nós... foram tantas as vezes que as palavras estiveram quase a sair-me da boca para perguntar o que tinha sido aquela mensagem, só queria dizer qualquer coisa, mas não... Não disse absolutamente nada, aqueles 15 minutos pareciam uma eternidade, só estava à espere que ele disse qualquer coisas, mas nada... Como é que alguém manda uma mensagem e depois não tem coragem para dizer nada frente a frente!? não percebo. Eu juro que não percebo o que é que ele quer... E também juro que não percebo porque fico assim