domingo, 30 de novembro de 2014

Domingo 5 *

Hoje o dia foi 5 estrelas (deu para atenuar o pensamento dos últimos dias)... eu e mamy, mamy e eu pelas ruas da capital... Com cheiro a castanha assada mas também com um cheirinho a natal, lembrado pela musica ambiente, pelas decorações de natal e pelo desejo de bom natal já dado por muitos... Adoro este dias, passear pelo chiado de braço dado com a minha mãe, tomar o pequeno-almoço no Fernando Pessoa, almoçar pizza num restaurante com ar Cubano e beber um cafezinho numa pastelaria com nome italiano, é daquelas coisas que adoro ainda por cima nesta altura do ano... Para terminar em beleza comprei um casaco como queria, pratico, quentinho e fofo, e mais uma ou duas coisas que andavam em mente! :)

sábado, 29 de novembro de 2014

Amanhã

O mês de Dezembro é sempre o mês de maior trabalho (assim espero), por isso já sei que os próximos fins de semana vão ser bastante atarefados... Portanto, amanha vou tirar o dia todinho para mim e vou até à "cidade" colocar a vista nas montras, nas decorações de natal e claro fazer umas comprinhas :)

Até amanha... ah, já com um pezinho em Dezembro deixo aqui uma música a combinar com a época que se aproxima.

E mais uma...

Não resisti... tive que copiar!
 
"Às vezes, passas por fases em que só te apetece desistir. Mandar abaixo, fechar a porta, escrever fim. Achas que não tens mais forças, achas que o limite chegou, achas que não dá mais.

Mas quando é para ser, quando é para dar certo, quando é mesmo meant to be, como dizem os ingleses, chega uma palavra, um gesto, alguém que te quer bem ou alguém que não te quer assim tão bem, e a vida faz-te repe
nsar todo o cenário, todos os nãos que dizes a ti mesmo, todos os medos que enfrentas e que aprendes a calar com coragem, todas as pontes que constróis dentro de ti, todos os passos que dás atrás e que sabes que depois te ajudarão a dar uns quantos lá à frente.

E aceitas que as jornadas não se conquistam todas de uma vez. E aprendes que quando chegas ao fim de um caminho, outro se apresenta à tua frente. Sempre."
 
Made in: Às nove no meu blog!

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Continuação do ultimo post

Agora à noite dá-me para isto, afundo-me nas minhas musicas, coloco os fones e embarco num mundo só meu... Acredito que, quem me vê de fora, diria que estou a deprimir, mas enfim... Deixar de ouvir o mundo e ouvir apenas o que quero, faz-me bem... E é desta forma que ando por esta internet a ler texto lamechas, frases feitas, clichés... mas que me sabem tao bem, aconchega-me a alma e enquanto isto perdura, não me sinto tao só e tao anormal... Agora que deixei de o ter, agora que nem sinal dele tenho, afogo as magoas aqui... Não, não quero lutar, sou uma COBARDE com todas as letras... Sim, vou continuar assim... Sou COBARDE, já disse... Vou continuar aqui no sitio de sempre à espera que a vida faça das suas, e se nada fizer azar... Hoje, amanha, e depois de amanha sei que estarei assim, mas também sei que isto vai passar, tem que passar... Até lá, vou-me perdendo na musica e nesses textos com veias de poeta, coisa que não sou e por isso hoje vou copiar para aqui mais umas tantas palavras: 
 
"A vida ensina-te que cresce-se mais a falhar. E que as alturas de maior crescimento na tua vida não são quando fazes tudo bem, mas quando falhas e tens consciência da razão pela qual falhaste.
 
Ensina-te que falhar é um caminho muito mais persuasivo: obriga-te a encarar de frente o que fizeste e como poderias ter feito melhor. E faz-te entender que o crescimento mais eficaz pode vir quando dás um espalho monumental."


"Agradeces a quem te disse não, a quem te obrigou a sair da tua zona de conforto e encarar de frente a verdade da vida. Agradeces ter aprendido, com dor, a olhar nos olhos os teus erros. Não para te lamentares, mas para teres a certeza de onde não deves recomeçar."

"Insistir numa coisa (ou pessoa) que nunca dá certo é como calçar uns sapatos que já não te servem. Dói, faz bolhas, às vezes até sangra.

Percebes que o melhor é ficar descalço. Deixar totalmente livre o coração, enquanto vives. Deixar livres os pés, enquanto cresces. Porque enquanto cresces, o número muda. E o que insistias em calçar, já não te serve mais."



"Não sou para todos. Gosto muito do meu mundinho. Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas. Às vezes tem um céu azul, outras tempestade. Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos. Mas não cabe muita gente. Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso. São necessárias."


"Às vezes o melhor é mesmo parar, ver e reparar, deixar que o mundo volte a girar no sentido certo e as pessoas voltem ao lugar onde pertencem. Seja mais perto ou mais longe de nós.

Há momentos em que só desta forma aprendemos que mais vale que a vida se desconstrua, se vire do avesso e nos mude as perguntas das respostas que julgamos ter, para depois fazermos as coisas de uma outra forma. Mais forte, melhor
"



"Ninguém vive a tua vida por ti. Ninguém sente nada por ti. Ninguém aprende nada por ti. Ninguém muda nada por ti. Os erros são teus, a aprendizagem também. As angústias são tuas, as conquistas também. Os medos são teus, as superações também. Os obstáculos são os teus, os resultados também.

És tu que vives a tua vida. E ninguém te pode tirar a força para transformares a tua vida, a esperança de realizar os teus sonhos, a liberdade de mudar de ideias, a honestidade de assumir os teus erros, a vontade de tentar de novo, a humildade de te saberes imperfeito, a certeza de que a vida vale a pena e a coragem de seres simplesmente tu"



"Às vezes, ficamos zangados com a vida e com o mundo. Com tempo, aprendemos a fazer as pazes com a vida, mas nem sempre sabemos como perdoar o mundo. Percebemos como é difícil reaprender a diferença entre um amigo e uma espécie de amigo. Voltamos ao dicionário para rever a definição de valores e de princípios – são estas as constâncias que nos edificam.

Temos muitos dias de pensar duas, três, quat...
ro, mil vezes, nos recomeços que nos fazem voltar ao princípio de tudo e mudar a nossa vida a 180º. Dá tanto, tanto trabalho... E é tão mais fácil dizer do que fazer.

Passamos todos por momentos de indecisão. De pedir ao tempo (e ao mundo) que pare, que sossegue, que seja nosso amigo, que fique em silêncio por um momento, só para que possamos ouvir o nosso coração.

Depois, quando finalmente as decisões estão tomadas, o importante é seguir em frente. E acreditar que a bússola que nos orienta está sempre sintonizada com o único ritmo que nos conhece por dentro: o do coração.
"


Made in: À 9 no meu blog


Tão eu!

"Às Nove no meu Blog" conhecem? Eu sigo através do facebook, todos os dias são colocadas citações com o respetivo texto. Hoje tive que roubar este... é tão eu.

"Passamos a vida a correr atrás de um ideal. Nem sempre aquele que sonhámos para nós. Tantas vezes o que outros acham que é o melhor para nós. Entramos numa espécie de piloto automático, sabemos de cor cada minuto do nosso dia, cada passo da rotina que faz de uma vida um acumulado de horas iguais.

Algures lá no meio, sentimos que falta alguma coisa, que talvez pudesse ser diferente, que a vida nã...
o pode ser só isto. Mas deixamo-nos estar.

Apesar da culpa que sentimos, apesar do desconforto, apesar daquela voz que nos pede para fazer alguma coisa por nós. Temos medo. Muito medo. A mudança ainda é uma palavra tão grande, que encerra tantas dúvidas, tantos ses, o receio tão grande de perder que nem sequer queremos ir a jogo.

Às vezes, passamos ao lado da vida que nos faria escandalosamente felizes. E só no fim de tudo percebemos que estava mesmo ali, ao nosso alcance, perto, tão perto de nós."

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Às vezes parece que advinham

Fui à esteticista arranjar as sobrancelhas, isto por volta das 19h... e foi isto:

Ela: Oi, já despegaste?

Eu: Não ainda tenho que ir lá?

Ela: Mas tens mesmo que ir!? Já está de noite, só apetece ir para casa... porque é que tens que ir?

Eu: Oh V. se já não for hoje, o trabalho fica por fazer e amanha é pior.

Ela: Isso passa... sabes, o que faz isso é não teres namorado... quando tiveres deixas de ser assim... não é que te desmazeles, mas vais querer estar com ele. Acabas por não te dedicares só ao trabalho. Ah, mas isso é perfeitamente normal eu também era assim antes de namorar.

Eu, basicamente sorri, mas com mil coisas a passarem-me pela cabeça... a miúda, que é praticamente da minha idade, acertou ali em 2 ou 3 pontos sem me conhecer assim tao bem... Pontaria, só para me fazer pensar mais um bocado...


(Voz fantástica!)

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Cineminha

Já estamos próximos dos mês de dezembro, do frio, da chuva, do natal, da lareira, do quentinho... e o que é que me anda a apetecer? ir ao cinema ver um daqueles filmes quentinhos, com cheiro a natal, neve e claro que tenha como presente uma bela historia de amor, um romance daqueles que nos faz sonhar e chorar... Pois, andei a pesquisar e não consegui encontrar o que queria... mas talvez este não seja mal... acho que fica na lista. Só poderei vê-lo lá mais para a frente... espero que ainda esteja mais umas semanas no cinema.

O Melhor de Mim
 
 
"Mas eu acredito que tudo o que acontece... Acontece  por uma razão."  esta é uma das frases do filme... É curioso, digo que não acredito no destino, mas acredito exatamente nisso... acredito que nada acontece por acaso, que tudo tem uma razão de ser... É um pouco contraditório mas sempre pensei assim.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Serei uma galinha?

Andei a vasculhar o blog "Voos de Açor" e dei com a seguinte lenda (tal como os ditados, acredito que as lendas têm algo de verdade):
Esta antiga lenda diz-nos que um dia um homem achou um ovo de águia e que o depositou num ninho de "galinhas do campo" para crescer com elas. Toda a sua vida, a águia fez o que uma galinha faz normalmente. Procurava na terra os insectos e a comida. Cacarejava como uma galinha. Voava só algum metros, tal como todas as galinhas, e era uma nuvem de penas.
Os anos passaram e a águia envelheceu. Um dia, ela viu um magnifico pássaro a voar no céu sem nuvens. Levantava-se com estilo, com a magnitude das suas asas. "Que belo pássaro!" diz a águia aos vizinhos. "O que é ?" , "É uma águia, o rei dos pássaros", diz a galinha. "Mas não vale a pena pensares nisso. Nunca serás uma águia." Assim ficou a águia, e não voltou a pensar duas vezes. Morreu a pensar que era uma galinha. Já pensaste que podias ser uma galinha do campo? Vamos pensar duas vezes...

domingo, 23 de novembro de 2014

Ele

Já tentei clicar no botão reset... mas dá erro... e lá vem tudo a cabeça.

Hoje à tarde estive sozinha, e como ocupar a cabeça? com Ele, pois claro. Pensei em tudo, e mais alguma coisa... Se isto tivesse acontecido noutra situação? se não tivesse tantos medos como seria? porque fico tao nervosa quando o vejo? porque será que ele nunca mais disse nada e nunca falou pessoalmente do assunto? imaginei mil cenários de "nós"? uma autentica montanha russa que a minha mente tem a capacidade de me provocar...

Também me pós na pele dele e do que vai na cabeça dele... Tenho reparado que ele nunca mais me olhou, olhos nos olhos... nunca mais disse "Adeus" a alto e bom som... nunca mais sorrio daquela maneira.

Que o tempo passe, e que tudo volte à normalidade, é o que desejo.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Mais um desabafo

À 15 dias que ele deixou de me enviar mensagem para o FB... Continuamos a ver-nos no meu local de trabalho, e é como se nada tivesse acontecido... Infelizmente, fisicamente o meu corpo continua a reagir quando ouve a sua voz, das mais diversas formas, ora treme, ora arranca-me o coração como tivesse um AVC, ora mudo de cor, que varia entre o branco em que fico gelada e o vermelho onde fico com calor... Não arranjo uma justificação para isto, não à explicação para o inexplicável...

Posso dizer que o meu pensamento já não é ocupada somente com ele... valha-me isso.

Já me sinto melhor, sem aquela ansiedade que me andava a matar... mas tem que haver um "mas"... e de vez em quando vou espreitar se tenho alguma mensagem... é controverso, não tem logica mas esta ausência de qualquer coisa é estranha... esta ausência de ti, da alguém, de não saber o que se passa é estranha... Eu sou estranha.


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

1 aninho!


 
Faz hoje 1 ano que comecei a trabalhar...
 
Se alguma vez pensei trabalhar para o publico? nunca... Como é que alguém com uma timidez cronica consegue perder a vergonha e falar abertamente? pois, isso foi o maior dos desafios, é um desafio diário e é desse desafio que eu gosto... superar-me a mim própria é maravilhoso... estes 12 meses nem sempre foram fáceis, muitas foram as vezes que pensei que não tinha nascido para aquilo, que me faltava o carisma necessário para trabalhar para o publico, muitos foram os dias que me senti sem forças, exausta, cansada pelas horas dedicadas...
 
Mas "aquilo" é a minha vida, sei que por vezes exagero e passo demasiado tempo lá, apesar de vir a tentar corrigir isso, foram muitos os fins-de-semana lá passados...
 
Mas gosto daquilo, como nunca pensei gostar... dedico-me de alma e coração aquelas pessoas que vão lá todos os dias, elas preenchem os meus dias... Além da parte comercial, financeira, do negócio, tem que haver uma parte humana e é a junção das 2 partes que gosto, que faz sentido... Este trabalho, permitiu-me conhecer melhor os outros mas também conhecer-me mais um bocadinho.
 
Sei que sou uma novata, mas tento absorver tudo como uma esponja... só espero continuar a crescer mais um bocadinhos todos os dias... Que venham muitos mais anos como este...

:)

Foi espreitar as estáticas do blog... e não é que hoje tive 130 visualizações! Muito pouco normal... Opá quem será que ando por estas bandas... pois, vou ficar sem saber (lol).

Hoje o dia é especial... já lá vai um aninho... daqui a pouco volto cá.

Só mais um desabafo

À cerca de 8 anos atrás, ela olhou para mim e disse: Tu és feia!

Estava a almoçar em casa de um grande amigo meu (e para mim mais qualquer coisa) quando a sua irmã (5 anos) me disse aquelas palavras... ainda me lembro do silêncio que se fez naquela cozinha... eu limitei-me a sorrir... mas doeu-me tanto, foi um baldo de algua fria e a certeza que era um patinho feio, a certeza do gozo que sentia por parte dos rapazes ser verdade... Grande parte da infância e da adolescência fui alvo de gozo, de sentir na pele que era a rapariga mais feia da turma, só quem passa por isto sabe dar valor...

Foi crescendo... conheci pessoas novas e deixei de sentir essa "discriminação"... pensei que tudo isso tinha passado... mas enganei-me. Sei que isso hoje me afeta muito mais do que podia imaginar, inconsciente, mas é um facto.

Será que essa miúda mudou!? Só nos contos de fada é que o patinho feio se torna cisne, né!? Ok, vamos até supor que já não sou patinho feio, sou apenas patinho, porque para cisne falta muito, por isso, fico-me só, por tentar acreditar que sou patinho, sim? pois, devia ser sim, mas há um passado que está tao entranhado, que marcou-me como um ferro em brasa, deixou marca, e agora? agora qualquer tipo de elogio é estranho e não sei lidar com isso...

É só mais um desabafo de quem se apercebe que as coisas a sua volta estão a mudar, e tudo é estranho... e coincidência ou não, este segredo do shiuuu diz-me muito:

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Adoro!

Não sou fã de Fado, mas há aqueles que me deixam com pele de galinha pela força da voz, pelo tom da guitarra portuguesa, pelo sentimento colocada em cada palavra... à fados que vão para alem do fado...

Parabéns Carlos do Carmo!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Música

"O amor é uma doença quando nele julgamos ver a nossa cura" Made in: Mariana
 
Lembro-me de ser adolescente, e ver aquelas miúdas da minha idade com os antigos mp3 e fones nos ouvidos... era moda, era um vicio, era algo que a mim não me dizia absolutamente nada... nessa altura a musica não era uma necessidade, não fazia parte de mim... simplesmente, "cruzava-me" com ela no autocarro, nas viagens de carro, na TV, por ai... Quando foi para a faculdade, isso mudou... substitui muitas vezes a TV pela Rádio, pelo" Oceano Pacifico", pelo "Café da Manha", pela "Cidade FM"... era uma companhia enquanto estudava...

No agora, a musica é o meu escape, é onde me refugio, é onde preencho um bocadinho da minha noite com as melodias que gosto... a sensação de colocar os fones e ouvir a minha musica é maravilhosa, tem um efeito quase analgésico... Tem o dom de desfocar a realidade e leva a sonhar, só mais um bocadinho, só mais uma vez.

P.S.: Cada vez que o vejo, eu morro um bocadinho por dentro...
 
 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

É uma droga, sem dúvida

"É mais ou menos como a droga - os viciados passam a vida à procura da mesma sensação que tiveram a primeira vez que consumiram. No amor é o mesmo, para algumas pessoas. Andam uma vida inteira à procura da vertigem que sentiram a primeira vez que amaram alguém. As dores de estômago, o coração a bater mais depressa do que o que é recomendado pelos médicos, as noites sem dormir, as horas ao telefone, desliga tu, não, tu primeiro, a vontade de morrer nos braços daquela pessoa tal é o amor que se sente. Replicar isto é impossível. É preciso uma boa dose de ingenuidade, de crença absoluta, de disponibilidade mental e emocional para sofrer os horrores (e as alegrias) do primeiro amor. Nunca mais se ama como daquela primeira vez. Tentamos convencer-nos que assim é melhor, ninguém aguenta tanta palpitação, tanto tempo de estômago apertado, tanta incerteza, loucura, cegueira, desassossego. Tentamos convencer-nos que assim é melhor, um amor tranquilo, cúmplice, confortável, seguro. Mas no fundo, bem no fundo, caladinho que nem um rato, queremos sentir outra vez - mais uma vez que seja - a vertigem, a entrega total sem pensar em mais nada porque mais nada importa." Daqui http://oblogdodesassossego.blogspot.pt/

Li este texto num comentário no Shiuuu e tive que o roubar... Porque sim... porque, sem amar, acho que provei um bocadinho dessa droga, cheia de adrenalina, que desassossega qualquer alma... esse sentimento sem definição faz sofrer horrores, desarma-nos perante o outro, arranca-nos o coração e faz questionar tudo... mas, apesar de tudo, esta droga é viciante e quando se esgota, queremos voltar a cair no mundo das drogas, só para voltar a sentir aquelas sensações. O senão, é que a droga mata!

sábado, 15 de novembro de 2014

Os outros

Tenho que aprender a não preocupar-me tanto com a opinião que os outros ficaram de mim, da forma como falei, da atitude, da forma de estar... tenho mesmo que corrigir isto em mim.

Bora lá... Liebster Award

Hoje vou mudar de assunto, já chega... bem, vamos lá aceitar o desafio proposto pela M* do blog Um Mar de Pensamentos.

O desafio é simples:
- Responder a todas as perguntas que foram sugeridas e referir o link do blog que nomeou;
- Nomear entre onze a vinte blogues com menos de duzentos seguidores;
- Não nomear quem nomeou;
- Obrigatório informar os blogs da nomeação;
- Fornecer aos bogs nomeados o link para o post em que foram nomeados (para que lhes seja explicado o que devem fazer).

 
17543126_1K6Nr.png



1. Qual o motivo que te levou a criar o blog? 
Foi por mero acaso que entrei neste mundo dos blogs(a cerca de 2 anos), numa pesquisa de um assunto qualquer, foi dar ao blog "Eu e o meu umbigo", até então este mundo era totalmente desconhecido... bem, mas sabes que mais, apaixonei-me por este blog, pela vida da Rita (e da sua colega que também chegou a escrever), e num mês devorei o que foi escrita em  5 anos... mais tarde este blog deu-me a conhecer outros blogs e reparei que a escrita seria uma ótima maneira de dizer o que não consigo dizer a ninguém, descobri que se tivesse um diário aberto ao mundo, podia ser criticada, julgada, mas ninguém saberia quem eu sou. E é isso... permiti-me escrever o que sinto sem medos... (já tinha respondido a uma outra pergunta semelhante, num outro desafio)
 
2. Como te defines? Quais as três características marcantes em ti? E, quais os três aspectos negativos da tua personalidade?
Sorriso fácil, introvertida por natureza, prestável.
Aspetos negativos: ai, ai... insegura, perfecionista e apesar de negar, de fazer tudo para contrariar, sei que (ainda) sou tímida (odeio este característica).
 
3. A tua viagem de sonho seria...
Paris e mais algumas
 
4. Qual o filme, livro ou série que te define?
Até ao momento, nenhum.
 
5. Qual o nome que darias a um filho? E a uma filha?
Ricardo. Beatriz/Leonor... Mas claro, a escolha do nome de um filho deve ser feita em conjunto, e ainda desconheço o paradeiro do pai da criança (lol)
 
6. Não saio de casa sem... (algo que nunca, mas nunca pode faltar na mala)
Chaves, fundamental.
 
7. A peça de vestuário que mais se identifica comigo é... (vestido, calças, sapatos de salto alto, ténis...)
Ténis do género All Star.
 
8. Um post de outro blog com que me identifico... (que tenha sido escrito por outro blogger)
Surpreendentemente, já li vários posts que poderia ter sido eu a escrever (nomeadamente teus M*), mas vou escolher um que se identifica com os últimos dias... Se me permites Mariana: "Mais de vinte e quatro horas passaram e eu sem abrir ainda a mensagem que ontem recebi. Basta ver o nome do remetente e fico logo agitada sem conseguir esconder. É verdade, sou fraca a esse ponto, até a Mãe me perguntou o que se passava... Isto para dizer que a mensagem ainda se encontra por abrir embora a vontade de a ler comece a ser demasiado." "Com uma mensagem por abrir, o coração sobressaltado, a curiosidade por satisfazer e ao mesmo tempo o medo do que possa estar escrito. É sempre assim, um sobressalto constante."
 
9. O que achas destes género de desafios? 
Gosto. Acho que pode ter duas vertentes, por vezes obriga-nos a fazer uma introspeção e por outro lado, damo-nos a conhecer mais um bocadinho.
 
10. Ao longo do teu percurso escolar, qual a disciplina que mais gostavas? E porque? 
Apesar de não ter seguido nada da área, diria que adorei psicologia... foi apenas no 22º ano mas adorava aquelas aulas.
 
11. Qual a tua personagem ou época histórica preferida? Porque?
O pós 25 de abril, não sei porque, mas suscita o meu interesso.
 
Agora é a minha vez... é com todo o gosto que nomeio:
Partilhar é bom...
Casaert (não sei o nome do teu blog, no teu perfil não consigo abrir)
 
As questões não são da minha autoria, mas à uns tempos atras li num outro blog e achei interessantes, cá vai:
1. O que mudou, da criança que foste para o adulto em que te tornaste?
2. Quem gostarias de ter conhecido mais cedo na tua vida? 
3. Descreve um dia perfeito, actualmente.
4. Que coisa (uma coisa) precisas fazer para melhorar a tua vida?
5. Qual foi o presente mais especial que recebeste nos últimos 5 anos? 
6. Qual foi a última vez que fizeste alguma coisa sem pedir nada em troca?
7. Se pudesses reviver um dia da tua vida (sem lhe alterar coisa alguma), qual seria?
8. Quê ou quem te drena energia actualmente?
9. Quando foi a última vez que convenceste a ti mesmo a não fazer uma coisa que, no fundo, querias fazer? 
10. (Ainda na sequência da pergunta 9.) Que coisa foi essa?   
11. Qual foi o ponto alto do teu dia, hoje?

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Resposta a um comentario e mais qualquer coisa

A Mariah S. comentou no post anterior o seguinte:

"Não te deves sentir miúda por isso, há muita gente da tua idade ou até mais velho que tem problemas ao lidar com situações parecidas ou idênticas... Acho estranho pensares tanto nesse assunto, é como isso andasse te assombrar"

É mesmo estranho, eu sei... tenho a plena noção disso... o que sinto é um exagero e por isso digo que mais pareço uma miúda de 15 anos... Estou a viver algo que devia ter vivido à 10 anos atrás, às vezes acho que agora é tarde demais.

Sabes, acho que tens razão, "é como isso andasse te assombrar"... admito que, em parte, é verdade, pelo exagero de pensamentos que tenho sobre este assunto... é uma assombração que tem tanto de bom como de mau... Há altura em que consigo encarar tudo isto de forma natural, mas a minha insegurança, o meu sistema nervoso, altera-se tanto na sua presença, que no fim, fico tao irritada comigo que não consigo reagir, e só penso nisto... só queria conseguir falar como falo com qualquer outra pessoa, sem o pensamento bloquear.

Quando liguei o PC vim com a intenção de escrever que nunca mais falaria deste assunto aqui, mas não posso prometer isto... aqui é o único sitio ondo conto o que sinto... por mais lamechas que pareça, por mais criança que seja, por mais patética que possa ser, por mais posts reptidos que existem... vou continuar a escrever, porque me alivia...

Sei que um dia vou-me rir disto tudo, sei que no fundo, bem lá no fundo tenho que passar por isto, a vida é isto, encarrar o que não queremos e seguir em frente... Tanto reclamei que a minha vida estava estagnada, que agora ando nesta montanha russo de emoções.

P.S.: Só queria colocar os fones, hibernar e voltar só lá para a primavera, quando isto tudo já tivesse passado... será pedir muito!?

Para já a mini-playlist poderia ser:


 
 
 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Sinto-me uma miuda...

O meu BI deve estar mal, eu não tenho 25 anos, devo ter perto de 15 anos, só pode... Só assim consigo perceber o motivo de não saber lidar com tudo isto, queria ser forte, encarrar tudo isto com naturalidade, mas não consigo, e hoje vacilei... hoje voltei a ser insegura, e assim que o vi, transformei-me noutra pessoa... é tao difícil estar a trabalhar e ter que o atender de forma natural... eu olho em frente e vejo a pessoa que me disse que gosta de mim, tenho à minha frente a pessoa com quem falei no FB... mas frente a frente falamos como nada tivesse acontecido, quer dizer na minha cabeça isso está presente e por isso atrapalha tudo... Hoje quase que não consegui abrir a boca, é tao complicado, sinto-me uma miúda a descobrir como lidar com os sentimentos e com os outros... Em que em certos momento se sente bem, porque afinal é bom saber que gostam de nós... mas ao mesmo tempo não quer nada disto, porque não sabe o que fazer, dizer, como agir...

É abrir os olhos de manha, e automaticamente toda esta historia vem à cabeça e tenho a noção que não sonhei de noite... é assim que tem sido os últimos dias, antes de desligar o despertador, tenho imediatamente uma visão de tudo isto, dele... Será que vou conseguir lidar com isto de forma natural? que seja rápido, por favor.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

E mais uma...

Desta vez a mensagem foi para agradecer eu não ter mudado de atitude e continuar a ser a mesma.... Sim, de facto vou continuar a ser a mesma... o problema é eu estar frente a frente com ele e conseguir não ficar nervosa, simplesmente por saber que ele gosta de mim...

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

E cá vou

E mais um dia... hoje, ele voltou lá... automaticamente o meu coração disparou mas agora de uma forma controlada... senti medo, ansiedade e uns nervos miudinhos, mas agora são moderados...

É constrangedor, sinto uma espécie de partilha em silencio, sabemos o que falamos mas ninguém diz nada... Mas hoje foi mais forte, e achei que tinha que tocar no assunto... e toquei de modo a que fossemos os únicos a perceber a conversa... e sabem o que aconteceu? ele começou a falar de outra coisa qualquer que nada tinha haver... Compreensível... eu é que fiquei naquela, que se calhar não devia ter tocado no assunto, mas enfim, agora já está... Eu achava que se fala-se nisso seria uma maneira de quebrar ali uma barreira, mas pelos visto enganei-me... sei que os próximos tempos, sempre que o vir não vai ser fácil, é algo bastante embaraçoso...

Acho que dei mesmo a entender que não queria nada com ele... nunca mais enviou mensagem... É assim, um dia de cada vez.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Finalmente

E saiu-me um peso de cima, sinto-me mais leva, apesar de tudo... Ontem (finalmente) posemos os pontos nos "i"... isto andava-me a atormentar, não andava nada bem, isto estava a afetar-me de uma maneira que nunca pensei que me pode-se afetar... Todo o tom da conversa que estávamos a ter no FB estava a incomodar-me, não fazia sentido, era estranho para mim, e falar com ele pessoalmente foi um atormento... Ontem falamos mais de 1 hora no FB, onde reinou a sinceridade, não estava mais a aguentar e dize tudo o que estava a achar disto, tentei escolher as palavras certa, dentro do possível... e a meio da conversa, ele confessou que estava a começar a gostar de mim... O munda caio aos meus pés... fiquei em choque, apesar de já estar um pouco à espera, mas ouvir (neste caso ler) foi juntar todas as peças do puzzle, nessa altura as coisas fizeram sentido... infelizmente eu não sinto o mesmo... não posso confundir paixão com a necessidade de ter alguém, com carência... e isso, foi-me apercebendo durante estes dias... e dentro do possível tentei dizer-lhe isso... Quem sabe um dia a vida nos junte de uma outra forma... até la vou continuar a vê-lo, ele frequenta o meu trabalho, não à volta a dar, temos que nos cruzar de vez em quando... Hoje ele foi lá, não deu para dizer nada, estava demasiada gente... mas quando tiver oportunidade, vou ter que tocar no assunto, tenho que ser mais forte, mas acho que tenho que dizer alguma coisa pessoalmente, acho que é o mínimo... Acredito que não foi nada fácil para ele dizer-me, acho que é algo embaraçoso para ambas... haver vamos o que a vida nos reserva.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Hoje

E hoje foi o dia... o dia em que ele foi ao meu trabalho... Vocês acreditam nisto, ninguém falou em nada, ninguém falou da conversa que houve no FB, foi como se nunca tivesse havido nada... Eu senti-me tao mal, as palavras não me saiam, uns nervos miudinhos qua dão cabo de qualquer pessoa, ainda tive para tocar no assunto mas não tive coragem, depois lembrava-me dos elogios que ele disse e só me apetecia fugir dali... Foi tao estupido, sou tao fraca, não me reconheci, aquela não sou, eu não sou aquela rapariga, aquilo é muito mais que timidez...

Começo a pensar que não nasci para isto, pelo menos desta maneira.... Apetece-me passar uma borracha por cima deste assunto, apetece-me fugir, sinto um aperto no peito por não querer estar assim...

Obrigada por todas as vossas mensagens... ainda não contei a ninguém, só aqui, vocês são as únicas pessoas que me vão dando umas palavras e isso para mim é muito, muito importando, alias nem sei como ainda me aturam... Como disse ninguém sabe, apesar de ter uma vontade enorme de falar com alguém pessoalmente e que o conheça... tenho muita vontade de contar aos meus pais, acho que ajudava a suavizar isto que sinto, mas claro não tenho essa coragem... Hoje dei a entender algo, mas eles não perceberam nada da verdadeira razão do tema da conversa.

domingo, 2 de novembro de 2014

Ponto da situação

Lembram-se de eu dizer à uns tempos atrás num post algo do género "todos os dias entram pessoas na minha vida, entram e saem a velocidade da luz, num corrupio desmedido... No fim do dia cá estou eu, só no sitio do costumo... Poucas ou nenhuma tem a ousadia de passar está barreira invisível que existe em mim"... lembram-se? Pois, referia-me a uma simples amizade ou algo mais forte que a amizade. "Hoje" ouve alguém que teve a ousadia de quebrar esta barreira... alguém que me disse o que nunca pensei ouvir (neste caso ler)... um rapaz pela primeira vez deu-me a entender que está interessado em mim... sim, pela primeira vez, aos 25 anos alguém me elogia como mulher, como pessoa... Esse rapaz é daqui da terra apesar de só o conhecer melhor desde que comecei a trabalhar (+/- 1 anos), também é mais velho do que eu, uns aninhos... esse rapaz desde alguns meses anda na minha cabeça, como alguém que poderia ser algo mais para mim, apesar de o conhecer muito pouco...
É bom, muito bom perceber que alguém gosta de nós.

Pois, temos trocado mensagens... mas nestes dias em que tem acontecido isto tudo, tenho pensado muito... 99% do tempo, o meu pensamento é só um: ele. Sinto-me tao perdida... Algo que desejei tanto e agora não consigo sentir aquele click, não consigo sentir que é o tal, que é especial.. dizem que quando gostamos de alguém não damos pelo tempo passar, conversa-se horas a fio, sente-se uma ligação, certo? Pois... nestes dias senti varias coisas, mas não senti isso... Perdi o apetito, na primeira noite que enviei a menagens não consegui dormir e sinto uma espécie de felicidade por isto me ter acontecido...

Sinto que não tenho conversa para teclar com ele, sinto que falta muito.... talvez ainda tenha passado pouco tempo, talvez este nervo miudinho me esteja a bloquear... Desde ontem que não foi ao FB e agora que foi lá tinha um bonequinho com carrinha triste e o numero de tlm dele para enviar msg quando pode-se teclar... Pois, não sei mesmo o que fazer... sinto-me tao parva, tao estupida, a perder uma oportunidade. E depois disto tudo como o vou enfrentar, frente a frente... Estou com vontade de bater com a cabeça nas paredes. Uma vez ouvi dizer "Tem cuidado com o que gostas/queres porque um dia podes conseguir"... temo que esta expressão se aplica agora.

sábado, 1 de novembro de 2014

Novidades...

Novidades? Não há muitas... desde que me enviou aquela mensagem não tem frequentado o meu o local de trabalho... quanto às mensagens, temos trocados algumas mensagens mas sempre em timing diferente, nunca estamos à mesma hora no FB... Tenho andado tao confusa e a tentar perceber isto tudo... algo esquisito, entre sentir-me super-bem e ao mesmo tempo frustrada, ansiosa, cheia de duvidas.