segunda-feira, 13 de outubro de 2014

People

Já estou aninhada aqui na sala como se tivesse em pleno inverno... e andava eu a navegar pela internet quando me deparo com está frase:

"Não digas nada, dá-me só a mão. Palavra de honra que não é preciso dizer nada, a mão chega. Parece-te estranho que a mão chegue, não é, mas chega. Se calhar sou uma pessoa carente. Se calhar nem sequer sou carente, sou só parvo."
António Lobo Antunes

Tão verdade... as vezes não queremos muito, apenas a presença de alguém querido, saber que está ali alguém para nós... Agora que estou aqui no meu sofá, que o dia está a terminar, que a rotina quebrou, sinto saudades dos tempos em que tinha uma grande amiga e teclávamos um pouco no chat do FB, não era muito tempo, apenas o necessário, também não era diário, era apenas quando tínhamos alguma coisa para dizer uma a outra... Sinto saudades do toque de SMS no telmovel, ao tempo que ele não toca... Não, não estou só, tenho uma família que me adora, apesar das nossas divergências, todos os dias tenho pessoas que entram na minha vida, pessoas que me dizem um Olá, tudo bem? Porque o meu trabalho está direcionado para o publico e desta forma estou sempre a ver pessoas, muitas delas diariamente...

Mas falta-me outra(s) pessoas(s) fora deste circulo de pessoas... Que saudades do tempo da faculdade, não é uma saudade de passar por tudo outa vez, mas a saudade das pessoas e da relação que tinha com elas... Foi uma fase única que hoje recorde com muito carinho, sempre com aquele aperto no coração... Confesso que gosto do meu espaço, de ter o meu silencio, estar no meu cantinho... mas sinto saudade, gostava de ter alguém com quem pode-se malucar, dizer uns disparates, rir a gargalhada, ter conversas serias, conversas só nossas... Acho que cheguei ao ponto de já não conseguir encontrar alguém assim, todos tem os seus grupos formados, já não precisam, não é aos vinte e tais anos que me vou reaproximar de pessoas que conheço desde sempre por serem daqui da terra, essas terão sempre o nome de pessoas "conhecidas"... Na vida fazemos opções, escolhas, acho que hoje estou a pagar por essas escolhas, em tempos afastei-me sem pensar, porque sim, porque a vida tomou esse rumo, porque haviam "incompatibilidade"...

Hoje estou aqui, em frente a um PC a escrever para mim, para vocês que passam por aqui e me deixam sempre uma palavra amiga, sem me conhecerem. Obrigada :)

10 comentários:

  1. Tão eu...nem sei que dizer por me identificar tanto com a situação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saber que existe alguém que se identifica connosco, parece que abranda a "dor", pelo menos foi o que senti ao ler o teu comentário.

      Eliminar
  2. Vais sempre a tempo de construír novas amizades :-) Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, às vezes parece que não... Em adultos tudo é diferente, andamos todos ocupados com as nossas vidas, não nós é permitido com tanta facilidade construir novas amizades... Provavelmente sou eu que tenho que mudar de atitude, mas não é fácil...

      Beijinhos para ti também :)

      Eliminar
  3. Nunca é tarde para te reaproximares das pessoas!
    Quando eu pensava que tinha o meu grupo de amigos e que não iria fazer amizades com mais ninguém, arranjei outro grupo!
    É certo, que com a idade a coisa se vai complicando, mas uma forma de potenciar as novas amizades é arranjares um hobbie...
    Tentar, não custa! Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Lea pelo teu exemplo e sugestão... Já alguém me tinha dito isso.... um hobbie, um desporto, voluntariado, algo que me permite conhecer outras pessoas... quando tomar essa atitude acredito que será bom para mim... infelizmente por aqui não é fácil...

      Preciso mesmo dessa Força, obrigada.

      Eliminar
  4. Olá fizeste me lembrar dos dias da vida académica, dos dias que entrava logo de manha ir tomar um café ao pé da maquina e encontrava lá os amigos e falamos da cenas do fim de semana. Tempos socialmente preenchidos eram aqueles.
    Amizade ajuda a superar, ajuda a ultrapassar, ajuda a ser feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, são esses momentos tão banais que nos fazem sentir bem... Lembro-me de irmos em grupos comer uns croissants quentinhos que só o bar da faculdade tinha e ficarmos naquelas mesas na galhofa, lembro-me de ficar horas a fio junto à cruz a falar com uma grande amiga, lembro-me do tempo que ficamos naquela sala de estudo na tentativa de fazermos os trabalhos mas metade do tempo era dedicado à risota, rir do que não tinha graça, mas nos lá achávamos piada, numa maluqueira, que hoje nem vestígios resta....

      Oh, adorei essa ultima frase... tao verdade!

      Eliminar
  5. Menina Maria :)

    Percebo o que dizes e fico com vontade de te dar um abraço bem apertado, acredita que aos vintes ainda muito está por acontecer. Acredita e ajuda, abre os braços às oportunidades de conhecer gente nova que te aparecerem. ;) Tu és uma miúda doce e sensível, se na vida virtual encontras pessoas que, como eu, ficam genuinamente comovidas com as tuas partilhas na vida real elas também existem, só tens de lhe dar uma oportunidade, certo?

    Força, abraço apertadinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Canca, obrigada por esse abraço apertadinhos, mesmo sendo em pensamento é muito bom :)

      É sempre tao bom ler estas palavras de força e encorajamento, acredita que são palavras muito preciosas para mim...

      Beijinhos, Canca!

      Eliminar